Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Nova avenida até ao mar obriga a deslocar Tegopi em Gaia

Produtora de torres eólicas muda metalomecânica para a zona industrial de Sandim.
Manuel Jorge Bento 31 de Outubro de 2020 às 10:11
Empresa produtora de torres eólicas, localizada na rua do Jardim, em Vilar do Paraíso, vai ser deslocalizada para Sandim
Empresa produtora de torres eólicas, localizada na rua do Jardim, em Vilar do Paraíso, vai ser deslocalizada para Sandim FOTO: Marc Ricardo Silva
A nfábrica da antiga Tegopi, metalomecânica produtora de torres eólicas que passou para as mãos da Pinto Brasil Renováveis, em Vilar do Paraíso, Vila Nova de Gaia, será deslocalizada para a zona industrial de Sandim. O memorando de entendimento entre a empresa e o município será votado na reunião da Câmara de Gaia, segunda-feira. As instalações industriais estão no traçado da futura avenida Até ao Mar (VL3), que ligará a zona de Santo Ovídio às praias.

O acordo, datado de quarta-feira, refere que a deslocalização da antiga Tegopi assegura o funcionamento daquela indústria "em local melhor, dotado de infraestruturas de alta capacidade e melhores acessos aos eixos rodoviários", e permite a requalificação da envolvente à futura via de ligação ao mar. A empresa compromete-se com a deslocalização da sociedade de projetos, automatismos e periféricos Divmac, atualmente em Santa Maria da Feira, para a zona industrial de Sandim, captando 250 postos de trabalho.

A avenida Até ao Mar implica os projetos já conhecidos de requalificação da rotunda de Santo Ovídio, da Quinta das Rosas e do campo do Vilanovense. Mas integra ainda o acordo com os herdeiros de uma parcela e donos de terrenos no traçado entre a rua das Bocas, na Madalena, e o largo do Vale. O contrato inicial remonta a dezembro de 2011, sendo que as obras deveriam ser concluídas até junho de 2013. Um aditamento ao contrato será agora discutido na reunião de câmara de segunda-feira. A empreitada deste troço já foi adjudicada por cerca de 1,5 milhões de euros e será executada em 270 dias. A autarquia ainda aguarda pelo visto do Tribunal de Contas.
Ver comentários