Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Praga de baratas atinge Tapada das Mercês

Moradores de um prédio acreditam que a infestação provém de apartamentos detidos pela autarquia nas caves.
António Miguel e Edgar Nascimento 30 de Agosto de 2017 às 08:44
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Imediações do prédio têm muito lixo e os moradores acreditam ser uma das causas da praga de baratas que os afeta
Aníbal Sobral, de 51 anos, é morador no número 13 da Rua Almada Negreiros, na Tapada das Mercês (Sintra) e vê diariamente a casa infestada por baratas.

Agora desempregado, Aníbal crê que a infestação existe devido a duas frações do prédio que estão desabitadas e que pertencem à Câmara Municipal de Sintra (CMS), situadas nas caves do edifício. "Os inquilinos das caves E e F vagaram as casas há três anos.

A Câmara emparedou as portas e janelas e foi isso de certeza que criou as condições para um foco de infestação dos bichos", explica o morador.

Desde então, Aníbal Sobral tem contactado a Divisão de Habitação da CMS para tentar resolver o problema. Segundo o munícipe, em pouco menos de três anos as respostas recebidas foram sempre as mesmas: "vamos agendar uma desinfestação". Só há três meses é que o morador viu uma ação.

"A Câmara reabriu uma das caves e contratou uma equipa de desinfestação, mas o trabalho foi muito mal feito. As baratas subiram pelo prédio acima e agora tenho ainda mais em casa", garante, frisando ainda que em volta do prédio há muito lixo acumulado.

" Sinto-me indignado e muito frustrado porque ninguém faz nada", refere.

Contactada pelo Correio da Manhã, a Câmara Municipal de Sintra explica que "não existe nenhum foco de sujidade ou fonte de calor que possa originar uma infestação de baratas", referindo que as frações de que é proprietária "vão ter obras de requalificação" e que "uma delas está já a ser alvo dessa intervenção".

O prédio tem 54 apartamentos, dos quais 12 são propriedade da autarquia.
Ver comentários