Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Santo Ovídio vai estar em obras durante anos

Câmara aproveita a empreitada de extensão da linha do metro do Porto até Vila d’Este para reformular nó junto à A1.
Manuel Jorge Bento 5 de Setembro de 2020 às 10:55
Empreitada causará perturbações acentuadas na circulação automóvel na entrada e saída da Autoestrada do Norte (A1)
Empreitada causará perturbações acentuadas na circulação automóvel na entrada e saída da Autoestrada do Norte (A1) FOTO: Direitos Reservados
O município de Vila Nova de Gaia pretende avançar para a reformulação da parte Norte do movimentado nó de Santo Ovídio, numa empreitada de 2,65 milhões de euros, a executar em oito fases ao longo dos próximos dois anos. A obra, que causará grandes perturbações de trânsito nos acessos da A1, será realizada enquanto é construída a extensão da linha de metro até Vila d’Este e o alargamento da autoestrada.

O projeto municipal - que vai ser discutido na reunião de câmara de segunda-feira - integra o objetivo de alargar o centro da cidade para Sul e facilitar o acesso à orla marítima. Será substituída a ligação provisória entre a rotunda Sul de Santo Ovídio e a rua de Laborim pelo denominado Ramo E, que é o início da futura avenida de ligação à beira-mar.

Construído há cerca de 50 anos, o nó de Santo Ovídio está quase inalterado desde que foi executado o primeiro troço da autoestrada, associado à construção da ponte da Arrábida. No documento que vai a discussão, é indicado que o trabalho a executar causará perturbações na circulação automóvel, pelo que foi estudada a realização da obra em várias fases para evitar o corte da via, permitir a mobilidade e facilitar a saída e entrada na A1. As propostas para a empreitada devem ser apresentadas nos 45 dias após a publicação do procedimento em Diário da República. O prazo de execução é de 15 meses.

Já a extensão da linha de metro até Vila d’Este, prevista para ser executada até 2023, está ainda suspensa, já que uma empresa interpôs, em agosto, duas ações judiciais para impugnar o concurso público, ganho pelo consórcio Ferrovial/ACA, por violação da lei da concorrência.
Ver comentários