Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Troço da A24 em Castro Daire isento de portagens enquanto EN2 estiver cortada

Estrada Nacional ficou cortada após um aluimento de terras entre os quilómetros 138 e 142.
Lusa 3 de Fevereiro de 2020 às 18:44
Portagens
Portagens FOTO: Nuno Fernandes Veiga
O troço da autoestrada 24 (A24) entre Castro Daire e as Termas do Carvalhal vai ficar isento de portagens enquanto a Estrada Nacional 2 (EN2) estiver cortada, anunciou o presidente da Câmara, depois de o Governo lhe ter prometido a iniciativa.

"Durante o fim de semana, no sábado à noite, voltou a entrar em contacto para dizer que tinha dado indicações para a isenção do pórtico da A24 no período em que a EN2 está cortada, naquele troço, entre a saída de Castro Daire e a das Termas do Carvalhal, e finalmente conseguimos agendar a reunião solicitada", adiantou Paulo Almeida.

O presidente da Câmara Municipal de Castro Daire explicou em conferência de imprensa que, "infelizmente", desde a derrocada da EN2, no dia 19 de dezembro de 2019, que ainda não tinha conseguido entrar em contacto com o ministro das Infraestruturas, "nem por escrito nem via telefone".

A EN2 ficou cortada na sequência de um aluimento de terras entre os quilómetros 138 e 142, ou seja, entre Mós e Ponte Pedrinha, no concelho de Castro Daire, aquando da depressão Elsa, provocando a queda de uma máquina retroescavadora e a morte do seu motorista.

Paulo Almeida, eleito em coligação PSD/CDS-PP, mostrou o seu "desagrado" pelo silêncio por parte do Governo e deu como exemplo a "rapidez na isenção da A41", na Maia, aquando do aluimento na EN13.

"Ou seja, estão aqui dois pesos e duas medidas, mas eu não aceito que um cidadão da Maia seja mais importante que um de Castro Daire. Obviamente que a isenção da A24 devia ter acontecido logo", vincou o autarca, que contou que foi contactado pelo secretário de Estado das Infraestruturas "para resolver o problema da estrada".

Além da isenção do pórtico na A24 prometido pelo secretário de Estado, "e tratado durante o dia de sábado, agendou também a tão desejada reunião" com o autarca.

"A medida de isenção do pórtico não é a solução definitiva. A solução definitiva é a reabertura da EN2, porque é uma estrada que nos atravessa o concelho de norte a sul e tem uma importância vital para a economia local e para os empresários locais", assumiu.

Neste sentido, o autarca deu como exemplo o empresário que detém um posto de abastecimento de combustível "muito próximo da zona onde aconteceu a derrocada" e que "já disse que a continuar assim a viabilidade da sua empresa está em causa e já equaciona despedir alguns funcionários, porque não tem como manter as portas abertas".

Presente na conferência de imprensa esteve também o presidente da Associação da Rota dos Municípios da EN2, Luís Machado, a destacar a "enorme importância nacional da rota turística" da estrada que tem também impacto na região, "porque é também uma alavanca em termos turísticos muito importante" e o seu corte tem "provocado efeitos muito negativos na economia local".

Ver comentários