Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Utentes madrugam em Oeiras para fazer o Cartão de Cidadão

Serviços sugerem a marcação online, mas as datas disponíveis são para setembro.
Beatriz Pinto e Edgar Nascimento 8 de Maio de 2019 às 09:24
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Utentes esperam para serem atendidos na Conservatória de Oeiras
Há quem garanta que há dias em que as filas para o Cartão do Cidadão começam a formar-se na rua ainda de madrugada, muitos antes das portas da Conservatória do Registo Civil de Oeiras abrirem.

Esta terça-feira, apesar da chuva e do frio, foram muitos os que esperavam na rua para poderem ser atendidos pelos serviços, que funcionam junto ao tribunal.

O número de senhas é limitado a 25 e a solução que a conservatória dá aos cidadãos é o agendamento via internet, onde os contribuintes conseguem ter acesso à disponibilidade para o serviço que pretendem, o mais breve possível. No entanto, esta solução nem sempre é a melhor.

"Tenho o Cartão de Cidadão caducado desde o dia 4 de abril e só consegui agendamento para o dia 4 de setembro. Não consegui fazer o agendamento online, porque é complicado e o sistema vai abaixo com frequência", diz Ana Isabel Baião, de 55 anos, residente em Linda-a-Velha.

Já Francisco Fernandes optou por renovar o Cartão do Cidadão fora da área de residência, para poder cumprir com os prazos. "Foi extremamente difícil, porque não havia vagas", contou. Esta terça-feira foi apenas levantar o documento.

Florival Silva, de 68 anos, levantou-se bem cedo para poder tratar da renovação do documento de identificação.

"Vim para aqui às 06h50 e só consegui senha para levantar o meu Cartão de Cidadão. As senhas voaram nos primeiros minutos. Agora, para renovar o Cartão de Cidadão da minha esposa, tenho de voltar cá mais uma madrugada", lamenta o munícipe, que não escondia a revolta.

"Vou ter de continuar a vir para aqui muito cedo. Espero que resolvam isto".
Ver comentários