Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Agressora de juíza vai para casa devido à pandemia do coronavírus

Susana Cláudia estava em prisão preventiva.
Nelson Rodrigues 31 de Maio de 2020 às 09:14
Susana Cláudia
Susana Cláudia FOTO: Direitos Reservados
Foi alterada a medida de coação aplicada a Susana Cláudia, a mulher de 39 anos que, a 15 de janeiro, agrediu uma juíza e uma procuradora no interior do Tribunal de Matosinhos, durante uma conferência de pais num processo de alteração e regulação de responsabilidades parentais. A arguida estava em prisão preventiva, mas, devido à Covid-19, a procuradora do Ministério Público que a acusou pediu que passasse para prisão domiciliária.

"O decreto do Presidente da República prevê a possibilidade de serem tomadas medidas excecionais e urgentes de proteção de reclusos, reconhecendo que a reclusão em estabelecimento prisional representa, neste contexto de pandemia, um perigo acrescido para a saúde, própria e de terceiros. [...] Com facilidade concluo que atualmente já não se mostra necessária a manutenção da arguida na prisão", lê-se no despacho.

Susana Cláudia é acusada de um crime de coação contra órgão constitucional e dois de ofensas à integridade física qualificada. Segundo o MP, deu um murro na cara da juíza e tentou agredi-la com um candeeiro. Apertou o pescoço à procuradora.
Susana Cláudia Tribunal de Matosinhos Covid-19 Ministério Público crime lei e justiça tribunal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)