Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Pirata informático Rui Pinto acusado de 147 crimes

Hacker também é acusado de entrar no email de magistrados e nos servidores de advogados que defendiam o Benfica.
Tânia Laranjo 19 de Setembro de 2019 às 15:00
A carregar o vídeo ...
Também o advogado Aníbal Pinto foi acusado de um crime de extorsão na forma tentada.

O hacker Rui Pinto foi acusado esta quinta-feira pelo Ministério Público (MP) dos crimes de acesso ilegítimo, extorsão na forma tentada, sabotagem informática e violação de correspondência.

O pirata informático foi acusado de 147 crimes: 63 de violação correspondência, 75 de acesso ilegítimo, sendo que um é na forma agravada, um de extorsão na forma tentada, um de sabotagem informática e sete de violação de correspondência na forma agravada.

Segundo o que o CM conseguiu apurar, o Ministério Público já deduziu a acusação ao pirata informático, também suspeito de violar os mails do Benfica. Rui Pinto foi notificado na prisão onde está detido preventivamente.

A acusação deduzida esta quinta-feira contra o pirata Rui Pinto já inclui matéria relacionada com as violações informáticas ligadas aos advogados que defendiam o Benfica.

Rui Pinto é acusado também de ter entrado nos servidores da PLMJ - sociedade de advogados onde estava João Medeiros, um dos que causídicos que defendia o Benfica no caso e-Toupeira - e de ter divulgado online as conversas entre João Medeiros, Rui Patrício e Paulo Saragoça da Matta.

Contactado pelo CM, João Medeiros mostrou-se satisfeito com a acusação do Ministério Público.

"Acredito que o MP fez tudo para recolher informação de quem entrou na minha caixa de email e espero que caso se prove que foi Rui Pinto que seja exemplarmente punido", disse o advogado, que quando apresentou queixa manifestou desde logo o desejo de procedimento criminal contra o hacker.

O hacker é ainda acusado de ter entrado no email de vários magistrados.

Aníbal Pinto também acusado
Também o advogado de Rui Pinto na altura, Aníbal Pinto, foi acusado de um crime de extorsão na forma tentada. "Nunca mais falei nem tive qualquer contacto com o Rui Pinto desde que foi meu cliente", garantiu Aníbal Pinto, à CMTV.

"Reajo com uma certa naturalidade, depois de o Ministério Público me constituir arguido sem sequer me ter ouvido. Esta acusação, por isso, não me surpreende. Ainda não conheço os termos da acusação, mas tenho a dizer que fiquei muito incomodado. Quanto a Rui Pinto, não tenho nada a dizer. Nunca cometi qualquer crime e espero que nunca venha a cometer. Estou tranquilo", revelou o advogado. 

"Afastei-me por escrito. Foi isso que eu fiz e é sempre isso que eu faço. Estou absolutamente tranquilo", confessou Aníbal Pinto.



Rui Pinto Ministério Público Benfica crime lei e justiça justiça e direitos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)