Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

PJ realiza megaoperação no local do duplo homicídio em Valpaços. Autoridades procuram arma do crime

Armas encontradas este sábado não eram as armas do crime. Suspeito foi libertado.
Patrícia Moura Pinto e Lusa 31 de Maio de 2020 às 12:40
PJ realiza megaoperação no local do duplo homicídio em Valpaços
Mata dois cunhados em guerra de caçadores em Valpaços
PJ realiza megaoperação no local do duplo homicídio em Valpaços
Mata dois cunhados em guerra de caçadores em Valpaços
PJ realiza megaoperação no local do duplo homicídio em Valpaços
Mata dois cunhados em guerra de caçadores em Valpaços
José Elias, de 60 anos, suspeito de ter matado dois cunhados em Valpaços, foi este domingo de madrugada libertado. 

Na origem da libertação estão falta de provas de que o homem cometeu os dois crimes. 
O homem detido por suspeitas de ter matado no sábado a tiro de caçadeira dois familiares no concelho de Valpaços, distrito de Vila Real, foi posto em liberdade, disse hoje à agência Lusa fonte judicial.

Segundo fonte judicial à Lusa, perante as provas existentes, o homem, de 66 anos, foi constituído arguido, sujeito à medida de coação mais leve, o termo de identidade e residência, e libertado durante a madrugada de hoje, depois de ouvido pela Polícia Judiciária (PJ).

As vítimas mortais, com idades entre os 50 e os 55 anos, foram encontradas ao início da tarde de sábado baleadas num terreno agrícola na localidade da Estrada da Avarenta, freguesia de Carrazedo de Montenegro, para onde tinham ido trabalhar de manhã, depois de não regressarem para o almoço.

No sábado, o tenente Rui Bento, do Comando de Vila Real da GNR, explicou que, inicialmente, a informação que as autoridades tinham era a de que as vítimas fossem um casal, mas que depois se confirmou que os mortos eram ambos irmãos da mulher do suspeito.

Contudo, o Comando Geral da GNR eslareceu hoje à Lusa que as vítimas mortais são mesmo um casal (marido e mulher), um deles irmão/irmã da mulher do suspeito.

No sábado, a GNR, que procedeu à detenção do suspeito de duplo homicídio e depois o entregou à PJ, disse à Lusa que o mesmo não resistiu à detenção e que se entregou à GNR.

Os militares apreenderam ainda uma caçadeira e uma carabina.

Durante as diligências entretanto realizadas, a PJ concluiu que não foi nenhuma destas foi a arma do crime.

Valpaços crime lei e justiça
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)