Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Amarram e matam casal português emigrado na África do Sul

Vítimas nasceram na Madeira mas estavam emigradas há 50 anos.
Sérgio A. Vitorino 2 de Setembro de 2020 às 01:30
Dinis e Maria Gorete Silva
Dinis e Maria Gorete Silva FOTO: Direitos Reservados
Dinis Fernando e Maria Gorete Silva estavam emigrados na África do Sul há quase 50 anos. Natural da ilha da Madeira, o casal foi domingo de manhã encontrado amarrado e morto à facada no pequeno negócio de restauração que mantinha em Christiana, cidade agrícola no centro daquele país. Esta terça-feira à tarde as autoridades ainda procuravam os autores do homicídio.

O homem, de 74 anos, e a mulher, de 71, foram encontrados pela polícia após alerta de um cliente, que pelas 08h00 estranhou a porta do estabelecimento encerrada, espreitou pela montra e viu um dos corpos.

De acordo com a polícia sul-africana, Dinis Fernando Silva tinha as mãos amarradas atrás das costas com abraçadeiras de plástico, indiciando ter sido mantido preso pelos homicidas. Tanto o homem como a mulher foram assassinados com golpes de faca no pescoço.

Num comunicado em que solicita informações e testemunhos, a polícia de Christiana refere que o motivo do crime era esta terça-feira “desconhecido” e que a investigação “prosseguia”. Apesar das cautelas da polícia, suspeita-se de que tenha sido um assalto. A filha das vítimas, Helena Silva, referiu que a polícia encontrou os pais numa “poça de sangue” atrás do balcão.

O número de portugueses e lusodescendentes na África do Sul estima-se em 500 mil, 300 mil dos quais de origem madeirense. Em 2018, apenas 75 mil tinham registo consular.

Ver comentários