Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Ameaçavam, insultavam e agrediam mulheres. Libertados três homens acusados de violência doméstica

Uma das vítimas foi violada e outras duas ameaçadas de morte.
Manuel Jorge Bento 1 de Agosto de 2019 às 08:23
Violência doméstica
Violência Doméstica
Violência doméstica
Violência Doméstica
Violência doméstica
Violência Doméstica
Ameaçavam, insultavam e agrediam mulheres com as quais mantinham ou já tiveram relações. Uma das vítimas foi violada. Outra viu o ex-marido disparar uma arma no seu local de trabalho.

Os três suspeitos, de 35, 41 e 42 anos, foram detidos pelo Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas da GNR, por violência doméstica, em Marco de Canaveses e em Amarante. Ficaram em liberdade, proibidos de se aproximar das vítimas.

No primeiro caso, a investigação durou apenas 48 horas e apurou que o agressor, de 42 anos, chegou até a violar a companheira, 15 anos mais nova, em Marco de Canaveses. Presente a primeiro interrogatório, ficou impedido de contactar a vítima por qualquer forma ou meio e de se aproximar dela a menos de 500 metros. É controlado através de pulseira eletrónica.

No mesmo concelho, mas em Alpendorada, um homem de 35 anos, descontrolado pelo consumo excessivo de álcool, não aceitava a separação da ex-mulher, de 28. Perseguiu-a, agrediu-a e tentou intimidá-la, efetuando disparos na pizaria em que aquela trabalhava. A vítima temia pela sua vida e pela do filho de ambos.

O agressor ficou proibido de se aproximar a menos de 200 metros e terá de ir a uma consulta de Psicologia ou Psiquiatria.

Noutro caso, a separação de um casal emigrado na Suíça deu origem a agressões à mulher, de 50 anos, e ao neto de ambos, de apenas quatro anos, e ameaças de morte. O suspeito tem de se manter a mais de 500 metros da agora ex-mulher.
Marco de Canaveses violência doméstica agressões violação
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)