Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Pedras, tiros e garrafas: Violência contra agentes da PSP cresce nas últimas três semanas

Quatro confrontos ocorreram no distrito de Lisboa e um quinto em Elvas. Recorde os casos de violência contra a polícia.
Correio da Manhã 16 de Maio de 2020 às 19:27
PSP encurralada por populares nas Olaias
PSP mobiliza operação musculada após alerta de emboscada no seguimento de confrontos em Oeiras
Mais de 40 moradores de bairro em Oeiras fazem emboscada à PSP e ferem agentes
Quatro agentes da PSP feridos durante confrontos em bairro de Sintra
Quatro agentes da PSP feridos durante confrontos em bairro de Sintra
PSP atacada com tiros e cão pitbull em festa ilegal em Elvas
PSP é recebida a tiro e à pedrada ao tentar travar festa com 100 pessoas em bairro de Lisboa
PSP é recebida a tiro e à pedrada ao tentar travar festa com 100 pessoas em bairro de Lisboa
PSP encurralada por populares nas Olaias
PSP mobiliza operação musculada após alerta de emboscada no seguimento de confrontos em Oeiras
Mais de 40 moradores de bairro em Oeiras fazem emboscada à PSP e ferem agentes
Quatro agentes da PSP feridos durante confrontos em bairro de Sintra
Quatro agentes da PSP feridos durante confrontos em bairro de Sintra
PSP atacada com tiros e cão pitbull em festa ilegal em Elvas
PSP é recebida a tiro e à pedrada ao tentar travar festa com 100 pessoas em bairro de Lisboa
PSP é recebida a tiro e à pedrada ao tentar travar festa com 100 pessoas em bairro de Lisboa
PSP encurralada por populares nas Olaias
PSP mobiliza operação musculada após alerta de emboscada no seguimento de confrontos em Oeiras
Mais de 40 moradores de bairro em Oeiras fazem emboscada à PSP e ferem agentes
Quatro agentes da PSP feridos durante confrontos em bairro de Sintra
Quatro agentes da PSP feridos durante confrontos em bairro de Sintra
PSP atacada com tiros e cão pitbull em festa ilegal em Elvas
PSP é recebida a tiro e à pedrada ao tentar travar festa com 100 pessoas em bairro de Lisboa
PSP é recebida a tiro e à pedrada ao tentar travar festa com 100 pessoas em bairro de Lisboa
A violência contra a PSP está a crescer. Nas últimas três semanas, cinco casos de indivíduos que se viraram contra as autoridades mostraram a violência que os agentes têm enfrentado ao tentar travar festas ou mesmo a cumprir detenções. 

O caso mais recente ocorreu na madrugada deste sábado quando, em pleno estado de calamidade, a PSP foi chamada ao bairro do Casal dos Machados, freguesia do Parque das Nações em Lisboa, para travar uma festa com cerca de 100 indivíduos aglomerados que estavam a causar ruído e a consumir álcool na rua, incomodando outros moradores. 


No intuito de travar a festa ilegal - visto o estado pandémico atual - os agentes deslocaram-se ao bairro e foram recebidos a tiro e à pedrada. Foram ainda atiradas garrafas de vidro contra os agentes. 

No seguimento destes arremessos, as autoridades foram obrigadas a pedir um reforço policial e os ânimos serenaram já perto das 5h00. Como resultado, três agentes e um morador ficaram feridos. 

Na semana passada ocorreram outros dois casos no distrito de Lisboa, separados apenas por dois dias, nas Olaias e em Oeiras. 

O caso das Olaias ocorreu no dia 6 de maio, uma quarta-feira ao final da tarde. Uma dezena de agentes da PSP viu-se rodeada por dezenas de populares em fúria quando procediam à detenção de um homem, de 49 anos, suspeito de ter agredido dois polícias.

A situação teve lugar pelas 19h45 no bairro Portugal Novo, nas Olaias, Lisboa. A PSP perseguiu até ao bairro um condutor que tinha cometido uma infração na rotunda das Olaias. 

Foi quando saíram dos carros para deter o condutor que os polícias foram cercados e dois deles agredidos.

Nas imagens a que o Correio da Manhã teve acesso via-se os agentes encurralados entre carros e um deles armado de shotgun a procurar a proteção de um prédio.

Dois dias antes, em Oeiras, dois agentes da PSP foram hospitalizados após terem sido agredidos quando impediam que um grupo de cerca de 50 moradores libertasse um homem, amputado de uma perna, que ajudou a espancar três estafetas de refeições rápidas.  

O ataque aos distribuidores ocorreu pelas 00h15, junto a um restaurante McDonald’s. Por motivos fúteis, as vítimas foram atacadas pelo amputado e outros quatro comparsas, incluindo uma mulher. O grupo fugiu num Audi. Dois estafetas foram hospitalizados.

Já no final do mês de abril, dia 27, outro caso de violência contra a PSP, desta vez em Casal de Cambra

Foi no final da noite de dia 27 que quatro agentes da divisão de Sintra da PSP ficaram feridos na sequência de confrontos com moradores do bairro de Santa Marta, em Casal de Cambra. 

Ao que o CM apurou, a polícia foi chamada àquele bairro pouco antes da meia-noite de segunda-feira, devido a excesso de ruído causado por uma festa. 

Os agentes mobilizados ao local foram recebidos com arremesso de pedras, garrafas, e outros objetos, e foi necessário pedir reforços. Já com um dispositivo mais musculado, a PSP foi forçada a disparar para o ar, munições de borracha, para dispersar os populares que enfrentavam e tentavam agredir as forças de segurança. 

Os agentes precisaram de tratamento hospitalar. O CM contactou o oficial de serviço do Comando da PSP, que confirmou a ocorrência.

O único detido, que terá apedrejado os polícias, foi presente a tribunal, em Sintra, tendo sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

No dia anterior a este caso, em Elvas, PSP de Portalegre foi recebida a tiro após tentar acabar com uma festa. A ocorrência deu-se perto das 00h30 de dia 26 e, quando chegaram ao local, os elementos policiais foram recebidos com arremesso de pedras e garrafas de vidro por um grupo de cerca de 15 a 20 pessoas. Foram ainda audíveis dois disparos.

Devido ao número insuficiente de operacionais no local, foram solicitados reforços tendo posteriormente chegado uma Equipa de Intervenção Rápida e uma Equipa de Investigação Criminal.
Ver comentários