Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Bombeiro agredido dentro de quartel ao proteger cão

Vítima foi atingida com uma cabeçada por repreender agressor, na Figueira da Foz.
Gonçalo Silva 17 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Fagulha tem cinco anos
Carlos Sotero, de 45 anos, foi agredido com uma cabeçada por um homem
Fagulha tem cinco anos
Carlos Sotero, de 45 anos, foi agredido com uma cabeçada por um homem
Fagulha tem cinco anos
Carlos Sotero, de 45 anos, foi agredido com uma cabeçada por um homem
Um bombeiro voluntário da Figueira da Foz foi agredido com uma cabeçada no nariz dentro do quartel, na manhã de sábado, por ter defendido um colega que estava a chamar à atenção um homem que terá maltratado Fagulha, o cão da corporação. O animal ganiu após ter sido agarrado pelo pescoço.

"Estávamos com a nossa mascote quando chegaram dois indivíduos e um começou a meter-se com o cão com más atitudes para o bicho. O meu colega pediu-lhe para ele deixar o animal e houve um desentendimento. O meu colega foi embora e eu fui para dentro. O indivíduo seguiu-me a perguntar onde estava o meu colega e eu não lhe disse. Não deve ter gostado e ficou mais exaltado. Quando fui à janela do posto de rádio, pensando que ele se tinha ido embora, virei-me e estava em cima de mim. Deu-me uma cabeçada", conta ao CM Carlos Sotero.  

O bombeiro, de 45 anos, foi para o hospital, onde fez exames. Será reavaliado hoje para saber se terá de ser submetido a uma cirurgia. A PSP foi chamada ao local e identificou o agressor. Já este domingo, a polícia voltou ao quartel devido à presença de vários familiares do agressor. Fagulha tem cinco anos, era abandonado e foi resgatado pelos bombeiros.
Figueira da Foz Fagulha questões sociais crime lei e justiça polícia interesse humano animais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)