Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Burlas bancárias sobem no Estado de Emergência

Houve mais 31 ocorrências relacionadas com esquemas fraudulentos que visavam as contas bancárias das vítimas.
Cláudia Machado 11 de Abril de 2020 às 10:06
Burla bancária
Burla bancária FOTO: Getty Images

As burlas com fraude bancária aumentaram 67%, com mais 31 casos registados na área de atuação da PSP entre os dias 13 e 31 de março, em comparação com o mesmo período do ano passado. Além deste tipo de crimes, aumentaram também os furtos em outros edifícios (que não casas ou espaços comerciais - mais 16%) e o abandono de animais, com uma subida de 100%. Ainda assim, verificou-se uma quebra na criminalidade geral, registando-se menos 5258 casos, e na criminalidade violenta, que caiu mais de 40% nos 19 dias em que a Polícia analisou os efeitos do estado de emergência.

Os crimes nos quais foram verificadas as quebras mais acentuadas são, sobretudo, os que envolviam diretamente as vítimas, como o furto por carteirista (caíram mais de 90%), o roubo na via pública e a ofensa à integridade física, descendo ambos na ordem dos 60%.

No que diz respeito à violência doméstica houve menos 336 ocorrências entre 13 e 31 de março. Já na totalidade do mês, a quebra de casos reportados à PSP cifrou-se nos 15%. Ainda assim, a Polícia "já iniciou a intensificação dos contactos pessoais com as vítimas de violência doméstica", de forma a garantir que a estatística não oculta a realidade. Foram reforçados também os meios através dos quais podem ser feitas denúncias (ver saiba mais).

Nas estradas houve menos 1236 acidentes do que em 2019, com menos 5 mortos e menos 461 feridos.

PSP deteve 55 por desobediência e fechou 226 espaços
Ainda entre 13 e 31 de março, a PSP deteve 55 pessoas pelo crime de desobediência face às normas em vigor no âmbito do estado de emergência. No mesmo período, foram encerrados 226 espaços comerciais pelo mesmo motivo.

Controladas mais de 35 mil pessoas em operações
A Polícia realizou no período em causa (19 dias) quase três mil operações de fiscalização no quadro do estado de emergência. Foram controladas mais de 35 mil pessoas e cerca de 54 mil veículos, incluindo os respetivos ocupantes.

SAIBA MAIS
3060
é o número para o qual as vítimas de violência doméstica podem enviar pedidos de ajuda através de mensagens escritas. A Linha SMS 3060 foi criada a pensar em pessoas que se encontram, por exemplo, em isolamento social com o agressor e não podem explicar o seu caso numa chamada. É gratuita e confidencial, pois não aparece discriminada nas faturas.

Linha telefónica gratuita
Para pedidos de socorro ou denúncias, que podem ser feitas até mesmo por familiares e vizinhos, existe ainda o Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica, com o número 800 202 148. É uma linha telefónica gratuita, funciona 7 dias por semana, 24 horas por dia.

Novo endereço de email
No âmbito do reforço e diversificação dos canais para as vítimas pedirem ajuda, o Governo abriu ainda um novo endereço de email: violencia.covid@cig.gov.pt.

Denuncie à PSP
A PSP disponibiliza também um email (violenciadomestica@psp.pt) para denúncias de casos de violência doméstica. A Polícia tem 144 salas preparadas para atendimento a vítimas.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)