Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

CM nega pagamento de entrevista ao denunciante

Relatório final da PJ sobre o caso Cashball afirma que o empresário Paulo Silva estabeleceu contactos com jornalistas, sem especificar os órgãos de comunicação social.
Correio da Manhã 18 de Novembro de 2020 às 01:30
Estádio de Alvalade
Estádio de Alvalade
O Correio da Manhã nega a existência de qualquer pagamento de entrevista ao empresário Paulo Silva, denunciante do processo Cashball, que investiga uma alegada rede de corrupção para beneficiar a equipa de andebol do Sporting.

O relatório final da Polícia Judiciária (PJ) sobre o caso Cashball afirma que o empresário Paulo Silva estabeleceu contactos com jornalistas - sem especificar os órgãos de comunicação social - para receber uma quantia de 30 mil euros para dar uma entrevista sobre os factos em investigação. Mais à frente, a PJ recorda que foi dada entrevista ao CM, sem referir a existência de qualquer contrapartida, por configurar a suspeita de crime de violação do segredo de Justiça. “Apesar de notificado sobre o facto de o processo se encontrar em segredo de Justiça, este concedeu uma entrevista ao jornal Correio da Manhã, onde revelou todo o conteúdo do objeto de investigação dos presentes autos”, pode ler-se.

O CM nega qualquer acordo de pagamento. Escutas entre Paulo Silva e o seu advogado demonstram que nenhum valor foi pago. O escândalo de corrupção foi revelado em exclusivo pelo CM. Paulo Silva afirmou que tinha sido mandatado, através de intermediários, para corromper árbitros de andebol e jogadores de futebol adversários de modo a que favorecessem o Sporting em campo. Para além do denunciante, são arguidos neste caso André Geraldes, então diretor-geral da SAD do Sporting, João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, empresário e ex-funcionário do Sporting, que Paulo Silva acusava de serem os intermediários. Paulo Silva terá oferecido 2500 euros a dois árbitros em 2017 e ainda 25 mil euros a um jogador de futebol adversário dos leões, confirmaram os visados aos investigadores. No caso do futebol, o atleta do Grupo Desportivo de Chaves recusou a proposta de 25 mil euros - 12 500 € por cada um dos jogos - para beneficiar o Sporting em campo.
Ver comentários