Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Navio de resíduos nucleares a navegar na Madeira obriga a abordagem da Marinha

‘Pacific Heron’ rumava para passar entre a Ponta de São Lourenço e a deserta grande quando foi abordado.
Sérgio A. Vitorino 3 de Março de 2021 às 20:24
Navio de resíduos nucleares aproxima-se da Madeira e obriga a abordagem da Marinha
Navio de resíduos nucleares aproxima-se da Madeira e obriga a abordagem da Marinha FOTO: Direitos Reservados
Um navio de transporte de combustível e resíduos nucleares foi, na tarde desta quarta-feira, travado via rádio por um patrulha da Marinha portuguesa, após ter navegado dentro do mar territorial (12 milhas, 19 km) da ilha da Madeira e tentado realizar um percurso que não estava autorizado, confirmou ao CM fonte oficial da Armada. O navio britânico “não tem material perigoso no seu manifesto de carga” e seguiu depois navegação “sem entrar em ilegalidade”. O mais próximo que esteve de terra terão sido 7 milhas (11 km).

O ‘Pacific Heron’, de 104 metros, fez uma rota descrita como “peculiar”, tendo passado pelo Porto Santo, depois pela costa norte da Madeira, pela costa sul e quando se estava a aproximar da Ponta de São Lourenço, foi então interpelado pelo patrulha ‘Douro’.

“As leis internacionais preveem que os navios possam entrar no nosso mar territorial para navegação inofensiva, ou seja, um trânsito direto. Pelo percurso [ver mapa] ele não estava bem a fazer isso”, disso ao CM o comandante Guerreiro Cardoso, chefe do Departamento Marítimo da Madeira. O ‘Pacific Heron’ rumava para passar entre a Ponta de São Lourenço e a deserta grande quando foi abordado. “Ia fazer uma navegação que não autorizámos e que normalmente está reservada aos navios que fazem a ligação com Porto Santo. Dissemos-lhe que tinha de inverter o rumo e seguir para sul das Desertas, o que ele acabou por fazer”, explicou.

A ação do navio da Marinha é descrita como “de exercício da autoridade do Estado no mar”. O ‘Pacific Heron’ encontra-se a prestar provas de mar, tendo saído no dia 26 de fevereiro de um estaleiro em Barrow-in-Furness, no norte de Inglaterra, para onde deverá agora rumar.

Ver comentários