Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Como vão recuperar as gémeas que viviam numa garagem na Amadora se nunca foram à escola?

Meninas iriam iniciar o 5º ano.
SÁBADO 21 de Agosto de 2019 às 17:37
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Gémeas viviam em condições precárias na Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Gémeas viviam em condições precárias na Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Baratas e lixo em garagem sem água quente para gémeas em bairro da Amadora
Gémeas viviam em condições precárias na Amadora

As duas crianças gémeas de 10 anos que foram retiradas aos pais, na semana passada - por viverem num quadro de violência doméstica e sem condições de habitabilidade, numa garagem na Amadora - nunca foram à escola. "Elas nem estão mal. Não se queixam. Não sabem ler – só uma coisinha ou outra que tentamos ensinar – mas sabem as horas, vão ao mercado e brincam com outras crianças no bairro", contou a mãe, Mariana Santos ao Correio da Manhã.

No Ministério da Educação não existe qualquer registo das meninas no sistema de ensino. O pai João Moura justifica, garantindo que tentou inscrever as filhas na escola, mas que não as aceitaram por não possuírem documentação (cédula de nascimento ou cartão de cidadão). 

Leia o artigo na íntegra na revista SÁBADO.

Amadora questões sociais pobreza gémeas garagem
Ver comentários