Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Continuo a sentir o frio da arma

Quatro homens de rosto coberto e armados de espingardas assaltaram a Agência de Totoloto de São Paio de Oleiros, Santa Maria da Feira, e deixaram marcas no corpo do proprietário que, diz, “dificilmente serão esquecidas”.
6 de Junho de 2005 às 00:00
Quadrilha entrou na agência de totoloto e levou milhares de euros
Quadrilha entrou na agência de totoloto e levou milhares de euros FOTO: d.r.
“Foram cinco minutos que valeram por uma eternidade. Agora sei o que se sente ao ser assaltado e só espero não repetir o desespero”, desabafa ao CM Fernando Marques, de 63 anos, que ficou com um hematoma grave no olho esquerdo, resultado das agressões que sofreu na sexta-feira, dia do assalto.
“Já passava das 19h30 e preparava-me para sair porque as apostas para o Euromilhões tinham fechado. Ouvi um carro a roncar e uma voz que disse: ‘Mãos ao ar. É um assalto’”, conta a vítima, que afirma que logo de seguida foi agredida com o cano da espingarda na cabeça e ficou estendida no chão.
“Depois de terem levado todo o dinheiro da caixa e alguns volumes de tabaco, procuraram a minha carteira. Num gesto irreflectido tentei tirar o gorro a um e ainda me deram um pontapé no olho”, relata.
Sem seguro, Fernando Marques espera agora pelo extracto dos registos dos boletins da Santa Casa da Misericórdia para ser indemnizado pelos milhares de euros de prejuízo.
“Agora vai ser difícil trabalhar com o medo, mas o pior é que continuo a sentir o frio da arma junto à cabeça”, confessa.
SUSPEITOS DE MAIS ROUBOS
A quadrilha que assaltou a Agência de Totoloto de São Paio de Oleiros, na passada sexta-feira, é suspeita de ter actuado da mesma forma noutros estabelecimentos comerciais de Santa Maria da Feira e Vila Nova de Gaia.
Segundo fonte policial, tudo indica que o grupo responsável pelo assalto, seja o mesmo que, no passado mês de Maio, tenha entrado numa outra agência de apostas em Canidelo, Gaia, e levado uma quantia de dinheiro ainda por apurar.
Também a loja de telemóveis Telsegur, em Lourosa, foi assaltada a 19 de Maio por quatro homens encapuzados e armados que, de acordo com a descrição, podem tratar-se dos mesmos indivíduos.
Há ainda o caso da ourivesaria Alison, em Riomeão, da qual foram levadas várias jóias em ouro, avaliadas em milhares de euros pelos donos, que também foi assaltada por uma quadrilha. Nesta situação, os assaltantes com a cara coberta e munidos de espingardas e caçadeiras de canos serrados também agrediram violentamente o proprietário quando este mostrou resistência.
Ver comentários