Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Controlo de velocidade pelos radares faz cair acidentes

Fiscalização sobe 62% e mortes na estrada descem 36%.
João Carlos Rodrigues 1 de Abril de 2020 às 08:33
Polícia de trânsito
Radares
GNR em operação de Trânsito
Polícia de trânsito
Radares
GNR em operação de Trânsito
Polícia de trânsito
Radares
GNR em operação de Trânsito

O aumento de controlo de velocidade por radares – sobretudo os 50 da rede SINCRO espalhados por todo o País – fez disparar o número de condutores em excesso de velocidade nos primeiros dois meses de 2020. Mas no mesmo período registou-se também uma descida do número de acidentes e de vítimas mortais em comparação com o ano passado.

De acordo com os dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, em janeiro e fevereiro, 23 090 630 (sim, mais de 23 milhões) de veículos foram controlados por radares, tendo 149 141 sido apanhados em excesso de velocidade (um aumento de 62% e 41%, respetivamente). Só a rede SINCRO teve uma subida de 82,3%.

No mesmo período verificaram-se 5023 acidentes de viação (menos 167 do que no período homólogo), que causaram 55 mortos (menos 31, uma quebra de 36%) e 6308 feridos ligeiros (menos 143). Há uma aumento de feridos graves – 340 nos primeiros dois meses de 2020, mais 20 do que em 2019. Lisboa, com 12 vítimas mortais, Aveiro (sete) e Leiria (seis) são os distritos com mais óbitos, enquanto Castelo Branco, Guarda, Portalegre e Vila Real não registaram qualquer morte na estrada.

Estes dados contemplam apenas as mortes no local do acidente ou no transporte até ao hospital e marcam uma inversão na tendência de subida que se registava desde 2017. Os dados reportam-se a um período anterior ao confinamento geral que levou, de acordo com o Governo, a uma quebra de circulação rodoviária superior a 75%.

SINCRO País acidentes e desastres acidentes de transporte acidente rodoviário estilo de vida e lazer
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)