Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7
Ao minuto Atualizado às 16:47 | 03/07

Operação Marquês sem data para decisão sobre quem vai a julgamento, anuncia juiz Ivo Rosa

Juiz Ivo deverá anunciar a data em que decidirá quais os arguidos que vão a julgamento. 
Correio da Manhã 3 de Julho de 2020 às 14:51
Juiz Ivo Rosa
Juiz Ivo Rosa FOTO: Lusa

Termina esta sexta-feira o debate instrutório da Operação Marquês com as alegações dos advogados dos arguidos que não pediram a abertura da instrução, entre eles o advogado de Ricardo Salgado, Francisco Proença de Carvalho.

Ainda hoje, o juiz Ivo deverá anunciar a data em que decidirá quais os arguidos que vão a julgamento. 

José Sócrates está acusado de três crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documentos e três de fraude fiscal qualificada.

No seu depoimento na fase de instrução, José Sócrates reiterou que a acusação é "monstruosa, injusta e completamente absurda".

A acusação sustenta que Sócrates recebeu cerca de 34 milhões de euros, entre 2006 e 2015, a troco de favorecimentos a interesses do ex-banqueiro Ricardo Salgado no Grupo Espírito Santos e na PT, bem como por garantir a concessão de financiamento da Caixa Geral de Depósitos ao empreendimento Vale do Lobo, no Algarve, e por favorecer negócios do Grupo Lena.

O Ministério Público imputou a 28 arguidos, 19 pessoas e nove empresas, um total de 188 crimes.

Ao minuto Atualizado a 3 de jul de 2020 | 16:47
16:45 | 03/07
Débora Carvalho
A advogada de João Perna falou durante pouco tempo e pediu justiça.
16:36 | 03/07
Juiz Ivo Rosa anuncia que não será anunciada a data para decisão de quem vai a julgamento. Não foi também agendada uma data para o efeito.

Foram ouvidas 299 testemunhas durante 300 horas. Há 14 milhões de ficheiros analisados. 

José Sócrates foi ouvido durante 27 horas em interrogatório.
14:51 | 03/07
Débora Carvalho
"Ministério Público diz que Ricardo Salgado era omnipresente e que mandava e dispunha de tudo. Dono de tudo. Que manda em Portugal. Aceitar isto é aceitar uma justica popular. (...) Não há no processo nenhuma prova ou indício de corrupção", continua o advogado de Ricardo Salgado.

Proença afirma que Hélder Bataglia comprou a sua liberdade contando a mentira que o Ministério Público queria ouvir e diz ainda que este nunca foi um empregado de Ricardo Salgado.
14:49 | 03/07
Débora Carvalho
O advogado de Ricardo Salgado continua: "A não ser que o Ministério Público ache que irá condenar Ricardo Salgado com base no testemunho de Ricciardi". "Não há uma escuta ou documento que comprove tese do Ministério Público", explica. 
14:47 | 03/07
Débora Carvalho
Para o Ministério Público, a justiça é popular. No processo não há factos nem indicios para a condenação de Ricardo Salgado. Suposições e presunções sem qualquer consistência. Proença de Carvalho avança que é mais provável a absolvição do que a condenação de Ricardo Salgado.
14:42 | 03/07
Débora Carvalho
Proença de Carvalho elogia o juiz Ivo Rosa e critica as fugas de informação do processo durante a fases de investigação. "Isto não é uma novela, é a vida real", afirma
14:40 | 03/07
Débora Carvalho
Começa o último dia de debate instrutório. Hoje está presente o procurador Rosário Teixeira.
Ricardo Salgado Francisco Proença de Carvalho José Sócrates crime lei e justiça política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)