Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

"Do que estão à espera?": Mulher de português com coronavírus denuncia falta de comida e cuidados médicos

Adriano Maranhão está isolado no cruzeiro "Diamond Princess" no Japão há mais de duas semanas.
Correio da Manhã 23 de Fevereiro de 2020 às 09:47
A carregar o vídeo ...
"Do que estão à espera?": Mulher de português com coronavírus denuncia falta de comida e cuidados médicos
"Não percebo do que é que estão à espera!" Esta é a pergunta colocada por Emanuelle Maranhão, mulher do português infetado com coronavírus que se encontra isolado no cruzeiro "Diamond Princess", atracado há mais de duas semanas no Japão.

"Foi me dito que ele não vai para já para o hospital porque está à espera que o processo seja autorizado pelas autoridades. O processo está muito demorado", confirmou Emanuelle Maranhão à CMTV.

"O barco já lá está há um mês. Agora que há tripulante que precisa de ser tratado, dizem que o processo é muito lento", referiu a mulher de Adriano Maranhão, de 41 anos, canalizador no cruzeiro há cinco anos.

Foi Adriano quem confirmou à mulher que não ia receber tratamento durante o fim de semana. "Foi ele o próprio a dizer que não ia para o hospital e que estava preocupado. Continua dentro da cabine dele, não tem nenhum cuidado especial. Continua sozinho à espera", sublinhou Emanuelle, acrescentando que o português não foi ainda visto pelo médico e não saiu do compartimento para comer.

Segundo Emanuelle, o marido não tem conhecimento sobre outros portugueses infetados pelo coronavírus a bordo do "Diamond Princess".

A mulher de Adriano Maranhão está em contactos com a Embaixada portuguesa no Japão, que confirmou o teste positivo para coronavírus.
"Recebi um email por parte da Embaixada portuguesa no Japão que ele tinha testado positivo. Pensei que o Governo já tivesse essa informação", revela Emanuelle.

O português começa a ficar ansioso, neste momento em que são poucas as informações sobre um possível tratamento: "Têm sido semanas extremamente exaustivas, sabendo como é que o posso ajudar, sabendo que o contágio mais cedo ou mais tarde ia acontecer. O dia chegou, ele testou positivo e continua sem ser levado para o hospital. Ele está zangado, está revoltado. Quer ir para o hospital, quer ser tratado. Neste momento está a começar a ficar ansioso", conta Emanuelle.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)