Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

"Ele apresentou-se com uma shotgun": britânicos julgados por roubo no Algarve

Dois britânicos respondem por sequestro e roubo de um homem de 45 anos.
Ana Palma 11 de Março de 2020 às 08:59
Vítima foi agredida e amarrada com cordas e transportada para uma casa em ruínas na zona de Boliqueime
Vítima foi agredida e amarrada com cordas e transportada para uma casa em ruínas na zona de Boliqueime FOTO: IStockPhoto
Um dos dois britânicos que esta terça-feira começaram a ser julgados, no Tribunal de Portimão, pelo sequestro e roubo de um homem de 45 anos, a 2 de outubro de 2018, admitiu ter agredido a vítima, mas "depois de esta se ter apresentado com uma shotgun".

Alegou ainda que este se "envolveu em agressões" com dois conhecidos seus que os acompanhavam, quando foram ter com ele a um terreno onde tinha um armazém, em Portimão.

O arguido, de 31 anos, disse que tudo o que sucedeu esteve ligado a uma alegada dívida - de cerca de 20 mil euros - da vítima para com um outro britânico relativa a um negócio de ‘erva’.

A vítima cultivava canábis no terreno, facto que foi esta terça-feira confirmado no Tribunal de Portimão por um agente da Polícia Judiciária que investigou o caso. Esta testemunha referiu ainda que a vítima estava "muito debilitada e amedrontada" quando fez a reconstituição do que se passou, nomeadamente quando foi às ruínas onde foi abandonado pelos arguidos, amarrado, na zona de Malhadais, em Boliqueime. O segundo arguido, de 20 anos, optou por se manter em silêncio.

Outro britânico envolvido no caso foi alvo de uma separação de processos e o quarto não chegou a ser identificado.

Ao coletivo de juízes o arguido que prestou declarações assegurou não ter usado quaisquer cabos de bateria para torturar a vítima e referiu ter achado que as agressões foram "uma briga entre amigos". E disse que a vítima foi abandonada "livre".
Tribunal de Portimão Portimão crime lei e justiça justiça e direitos questões sociais morte
Ver comentários