Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Emoções de volta com luz e vozes

Comemoração da democracia no palácio de Belém. A memória da conquista da liberdade corre nas paredes da Presidência.
22 de Abril de 2010 às 00:30
A projecção multimédia de filmes, cartazes, jornais e murais envolve os visitantes a 270º
A projecção multimédia de filmes, cartazes, jornais e murais envolve os visitantes a 270º FOTO: direitos reservados

No 25 de Abril de 1974 nada ali se passou. O Palácio de Belém já era o local onde os chefes de Estado cumpriam os procedimentos protocolares, mas não representava qualquer poder político.

O País vivia voltado para São Bento, onde até à morte residiu Oliveira Salazar, e naquele dia da conquista da liberdade todas as atenções se focaram no quartel da GNR, no largo do Carmo, onde Marcelo Caetano se refugiou e António de Spínola foi recebido como novo detentor do máximo poder no Estado. Ao fim de 36 anos e em tempo de comemorações do Centenário da República, o Palácio de Belém tem renovada dignidade e ganhou dimensão cultural com o Museu da Presidência da República. E comemora a Democracia com exposições, iniciativas diversas e, sobretudo, abre as portas à entrada livre de visitantes que queiram conhecer os locais, ver o que há para mostrar e ouvir música.

O Presidente da República, Cavaco Silva, inaugura o evento ao final da tarde de hoje. A partir das 21h00 a entrada será livre. Subindo a rampa até ao Pátio dos Bichos, onde está montado o palco para os quatro concertos, os visitantes encontrarão a mais surpreendente das iniciativas. Em quatro paredes correm em simultâneo projecções de filmes, fotografias, páginas de jornais e murais que contam a história dos acontecimentos de 1974. O trabalho foi concebido por Nuno Maya e Carole Purnelle.

No fim-de-semana os espaços que a visitar serão alargados, como de costume, ao interior do Palácio, que apresenta decoração especial com flores de papel feitas em Campo Maior. A não perder.

SPÍNOLA SOB O SIGNO DO SEU CENTENÁRIO

A passagem do centenário do nascimento do marechal António de Spínola constituiu primeira oportunidade para a exposição comemorativa que pode ser visitada de hoje até dia 3 de Maio na chamada zona das jaulas do Palácio de Belém, que funciona como galeria de exposições temporárias do Museu da Presidência. Muitas fotografias e vários objectos que merecem a referência de históricos integram a mostra sobre o primeiro presidente da República da democracia pós-25 de Abril.

António de Spínola foi o 14º presidente da República e nasceu seis meses antes da proclamação do novo regime. A sua vida acompanha muito do que foi a história de Portugal nos últimos cem anos. A biografia posta à venda este mês com o Correio da manhã revela como a sua intervenção se distinguiu desde os seus tempos na Academia Militar.

A exposição agora apresentada dá ênfase à sua carreira militar. O seu bastão de marechal é um dos objectos patentes, ao lado de recordações como uma salva de prata oferecida em 1974 pela comunidade portuguesa imigrada na Suíça, além de várias edições do livro ‘Portugal e o Futuro’ e revistas internacionais sobre os acontecimentos que puseram Portugal em foco no Mundo.

O material iconográfico é muito interessante, com fotografias da sua actividade militar em África, em que não falta a sua caricatura como comandante do Batalhão 345.

DESAFIO GLOBAL NO FACEBOOK

Mais de 400 participantes de todos os países e culturas estão envolvidos num projecto que promove domingo, dia 25, às 15h00, uma comemoração peculiar no Facebook, em http://facebook.com/group.php?gid=312078576185. O desafio é associar a ideia de democracia e liberdadeà interculturalidade. Cada um interpretará o repto à sua maneira, ao mesmo tempo no Mundo.

QUATRO NOITES DE CONCERTOS

Dos Deolinda a Cristina Branco, passando por Paulo de Carvalho, que entrou na história com a canção-senha ‘E Depois do Adeus’ e pela apoteose prometida pela actuação dos Ronda dos Quatro Caminhos e dos seus cem convidados, a música é ponto forte das comemorações no Palácio de Belém.

PROGRAMA

Hoje

21h00 – Palácio de Belém abre as portas para entrada livre do público. Apresentação do espectáculo multimédia ‘Projectar Abril’

21h30 – Concerto dos Deolinda

Amanhã

15h00 – Abertura do Palácio. Instalação dos ‘Cravos de Campo Maior’.

21h30 – Concerto com Paulo de Carvalho

Sábado, 24

10h00 – Abertura do Palácio de Belém ao público

21h30 – Concerto da Ronda dos Quatro Caminhos

Domingo, 25

10h00 – Abertura do Palácio. Entrada livre

19h00 – Concerto de Cristina Branco

CRAVOS DE PAPEL DE CAMPO MAIOR

A tradicional arte de papel que distingue as Festas do Povo em Campo Maior, Alto Alentejo, criará um ambiente especial nos jardins do Palácio de Belém, que estarão estes dias embelezados com 1974 cravos de tamanho natural, 2500 de 80 cm e um gigante com mais de 8 metros de altura. Haverá ainda dois cisnes nos lagos e outras decorações.

NOVIDADES NO MUSEU

O Museu da Presidência da República, instalado em edifícios anexos, dentro do espaço murado do Palácio de Belém, põe em destaque a partir de hoje os presidentes da Democracia após o 25 de Abril de 1974. Além dos retratos oficiais de todos os presidentes, o espólio do museu é dominado por objectos pessoais e muitas prendas de Estado recebidas nas viagens oficiais.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)