Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Espancam e roubam homem atraído por sexo na Madeira

Seduzido por amiga para local ermo onde dois assaltantes o esperavam.
Sérgio A. Vitorino 23 de Agosto de 2020 às 01:30
Imagem illustrativa de emboscada ao homem que foi espancado e roubado na Madeira
Imagem illustrativa de emboscada ao homem que foi espancado e roubado na Madeira FOTO: Ricardo Cabral

Quando a mulher de 31 anos, que já conhecia, o ‘engatou’ para um local ermo, o homem de 27 anos não hesitou. Meteu-se no carro dela e deixou-se levar. Mas quando chegou ao sítio onde iria ter o encontro íntimo, o homem foi surpreendido por dois amigos dela, que o sequestraram e obrigaram a uma madrugada e manhã de terror.

Ameaçado e agredido, teve de levantar 700 € no multibanco e só se salvou quando pediu ajuda num banco, onde o levaram para contrair um empréstimo para lhe sacarem mais dinheiro.

Segundo explicou ao CM fonte da PJ, o crime ocorreu na quinta-feira, entre os concelhos de Machico e Santa Cruz, na Madeira.

A vítima, que não tem grandes posses e já é conhecida das autoridades policiais, deixou-se atrair pela mulher. Os dois homens atacantes, de 42 e 21 anos, já aguardavam escondidos no local ermo para onde ela conduziu o carro.

O homem foi de imediato ameaçado com uma faca e obrigado a fornecer os códigos dos seu cartões bancários. Os agressores foram a uma caixa multibanco e sacaram 700 euros. Mas não ficaram satisfeitos. Colocaram a vítima de novo no carro e levaram-na para casa de um dos homens, onde o continuaram a ameaçar e agredir, provocando-lhe ferimentos.

Como não conseguiam levantar mais dinheiro, a vítima propôs ir até um banco e pedir um empréstimo para entregar aos agressores. Foi aí que conseguiu pedir ajuda a uma funcionária bancária, que por sua avisou a PSP, que identificou rapidamente os três suspeitos, depois detidos pela PJ do Funchal.

Pormenores
Vigiado
Quando foi ao banco, o homem era vigiado de perto por um dos agressores. O outro, e a mulher, estavam um pouco mais afastados. Mas foram rapidamente apanhados pela PSP e pela Judiciária.

Evitado
Os 700 € foram recuperados e acredita-se que a rapidez da intervenção da PSP e da PJ impediram que as agressões continuassem ou viessem mesmo a descambar num crimes mais grave.

Preventiva
Os três detidos foram este sábado presentes a um juiz de instrução criminal, indiciados por sequestro, roubo agravado e agressões. A mulher e os dois homens ficaram em prisão preventiva.

Madeira PJ PSP crime lei e justiça crime questões sociais polícia
Ver comentários