Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Família enraivecida agride GNR à paulada

Quatro homens em fúria atacaram patrulha com um pau e vasos.
Fátima Vilaça 26 de Janeiro de 2016 às 08:45
Rua onde ocorreram as agressões, em Delães. Militar da GNR foi agredido na cabeça e teve de ser suturado (foto pequena)
Rua onde ocorreram as agressões, em Delães. Militar da GNR foi agredido na cabeça e teve de ser suturado (foto pequena)
Foi uma cena digna de um filme. Uma desobediência à patrulha da GNR de Riba d’Ave, segunda-feira de madrugada, acabou numa cena de pancadaria. Os militares seguiram até casa um motociclista, que circulava na EN310, em Delães, Vila Nova de Famalicão, sem luzes nem matrícula. À chegada ao domicílio, foram recebidos à paulada pelos familiares em fúria.

Três militares ficaram feridos, um deles teve de ser suturado com sete pontos e outro foi submetido a uma intervenção cirúrgica. Os quatro agressores - pai e três filhos, com idades entre 25 e 65 anos - foram detidos. Serão hoje presentes a juiz, no Tribunal de Famalicão.

"Os dois militares foram surpreendidos pelo grupo, que surgiu pelas traseiras da casa e atacou com um pau", relatou ao CM o capitão Rui Brito, comandante do Destacamento da GNR de Barcelos. A primeira agressão aconteceu à 01h15, na rua do Caminho Real, em Delães. Floriano Cardoso, de 25 anos, tinha deixado o estabelecimento prisional no sábado, onde cumpriu pena por agressões violentas num bar de Famalicão, e fugiu à patrulha. Ao chegar a casa, escondeu-se num anexo e os familiares saíram em seu auxílio. Quando um militar se preparava para bater à porta, foi surpreendido pelo grupo violento. Mário Cardoso atacou com um pau e o pai, Delfim Cardoso, atirou vasos aos guardas.

A patrulha chamou reforços, que acabaram por deter os quatro homens. A GNR apreendeu armas e munições na casa.