Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Familiares e colegas despedem-se de GNR que morreu abalroado na A1 e Santarém

Carlos Pereira ia ser pai dentro de pouco tempo. Companheira estava grávida de sete meses.
Correio da Manhã 11 de Julho de 2020 às 17:27
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Carlos Pereira e Vânia Martins
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Carlos Pereira e Vânia Martins
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Funeral de Carlos Pereira, um dos militares da GNR que perdeu a vida na A1 em Santarém
Carlos Pereira e Vânia Martins
Carlos Pereira, um dos GNR que perdeu a vida num aparatoso acidente na A1, em Santarém, foi este sábado a enterrar. Na cerimónia, que decorreu em Santarém, estiveram presentes vários militares da GNR e familiares do guarda. Também Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, fez questão de estar presença nas cerimónias fúnebres.

"A Guarda Nacional Republicana está de luto. Hoje prestámos a última homenagem ao nosso Guarda Carlos Pereira, junto dos seus familiares, amigos e camaradas. Neste momento de sofrimento e luto, o nosso pensamento está com a família enlutada e com os militares do Comando Territorial de Santarém, em especial os que servem a Guarda no Destacamento de Trânsito, a quem transmitimos as nossas sinceras condolências e muito sentida solidariedade", pode ler-se numa publicação feita na página da GNR, em homenagem a Carlos Pereira.

A Guarda Nacional Republicana está de luto.

Hoje prestámos a última homenagem ao nosso Guarda Carlos Pereira, junto dos...

Publicado por GNR - Guarda Nacional Republicana em Sábado, 11 de julho de 2020


Carlos Pereira namorava com a atual companheira, filha de um antigo militar da GNR. Há pouco mais de um ano decidiram viver juntos na Covilhã e o primeiro filho estava agora a caminho. A mulher está grávida de sete meses.


A criança, quando nascer, será a única herdeira dos bens deixados pelo pai agora falecido e terá também direito à indemnização que a GNR irá pagar por se tratar de uma morte em serviço. O valor equivale a 250 ordenados mínimos e pode chegar aos 150 mil euros. Mas depende de um processo que determine que, de facto, se tratou de um acidente em serviço e da disponibilização da verba pelo Ministério das Finanças, uma situação que poderá demorar mais de um ano.

Carlos Pereira, apurou o CM, teria também contraído um empréstimo junto dos Serviços Sociais da GNR quando foi viver com a companheira, dívida que ficará saldada automaticamente com o óbito.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)