Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Filho de bombeiro queima floresta

Menor de 13 anos diz gostar de ver o pai combater fogo.
Ana Borges Pinto e Luís Oliveira 13 de Agosto de 2015 às 07:55
Proteção Civil registou mais de 130 ocorrências na quarta-feira
Proteção Civil registou mais de 130 ocorrências na quarta-feira FOTO: Rui Minderico

Um menor de 13 anos, filho de um bombeiro, foi identificado pela GNR por suspeita de ter ateado um incêndio que destruiu pinhal e eucaliptal, em Campia, Vouzela. O caso foi remetido à PJ que ontem anunciou a detenção de mais dois incendiários – desde o início do ano já foram detidas 72 pessoas por fogo posto.

O incêndio pelo qual o menor está indiciado ocorreu ao início da tarde do passado domingo. Destruiu floresta e obrigou à mobilização de 65 bombeiros, 16 viaturas e dois meios aéreos. O suspeito terá dito que "gostava de ver o pai a combater o fogo" e que no futuro "também queria ser bombeiro". Foi sujeito a medidas cautelares e educativas.

Os incendiários ontem detidos pela PJ são dois homens, de 47 e 55 anos, de Penacova e Tábua. Em comum, além de serem ambos pedreiros, está o facto de terem agido sob influência do álcool. A GNR também deteve ontem um homem, 39 anos, por fogo posto em Mirandela.



Ontem o dia foi bem mais calmo, devido à chuva que caiu em algumas zonas do Norte e Centro. Na serra da Estrela a chuva foi preponderante e ajudou os 500 bombeiros. "É uma catástrofe de partir o coração. Tínhamos uma paisagem lindíssima e ficámos com um cenário desolador", diz Teresa Ribeiro, que nos últimos dias esteve acampada nas Penhas Douradas e assistiu ao avanço do fogo de Gouveia para Manteigas.

GNR Campia PJ Penacova Estrela Teresa Ribeiro Penhas Gouveia acidentes e desastres incêndios
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)