Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Fuzileiros patrulham praias de alto risco

Marinha com plano inédito de reforço das estações salva-vidas nesta época do ano.
Sérgio A. Vitorino 5 de Maio de 2017 às 10:12
Fuzileiros têm curso de nadador-salvador e vão ser destacados para as praias a partir de hoje
Dois surfistas escoceses, irmãos, foram salvos quarta-feira pelo ISN numa praia de Alcobaça
Fuzileiros têm curso de nadador-salvador e vão ser destacados para as praias a partir de hoje
Dois surfistas escoceses, irmãos, foram salvos quarta-feira pelo ISN numa praia de Alcobaça
Fuzileiros têm curso de nadador-salvador e vão ser destacados para as praias a partir de hoje
Dois surfistas escoceses, irmãos, foram salvos quarta-feira pelo ISN numa praia de Alcobaça
Quatro mortos e um desaparecido, em três dias, nas praias, fazem a Marinha avançar para um plano inédito ainda a mês e meio do início do verão. Equipas de fuzileiros vão auxiliar o Instituto de Socorros a Náufragos a patrulhar os areais de maior risco e que não têm ainda vigilância: Costa da Caparica, a faixa entre Sintra e a Ericeira e a Nazaré.

Nestas praias tiveram lugar três dos quatro acidentes mortais. No dia 1, Valdir Tavares, de 32 anos, morreu na Caparica ao ser arrastado por um agueiro quando tomava banho no mar. Minutos depois, os espanhóis Félix Álvaro, 77 anos, e Ana Velasco, 75, foram arrastados por uma onda na Nazaré (ver caixa). Nesse dia, Elisabeth Steigberger, austríaca, 66 anos, foi levada quando molhava os pés na praia da Lagoa, Póvoa de Varzim. Dia 3, Paulo Soares, 23 anos, foi arrastado quando ia a banhos na Foz do Lizandro, Ericeira. Estava ontem a ser procurado por meios da Marinha e da Autoridade Marítima, auxiliados pela Força Aérea.

O CM sabe que a partir de hoje estão destacados quatro fuzileiros para a Costa da Caparica, dois para as praias de Sintra e Ericeira e dois para a Nazaré. "Podemos vir a reforçar as equipas. Com o aumento da temperatura do ar, há maior afluência às praias, apesar de as autarquias ainda não terem aberto a época balnear e, logo, os areais não estarem vigiados por nadadores-salvadores. Os fuzileiros vão atuar, agregados a estações salva-vidas, numa atitude de aconselhamento das pessoas", explica o comandante Coelho Dias, da Marinha e da Autoridade Marítima.

PORMENORES
"Emergência"
A situação de "emergência" obrigou à medida excecional. Ação semelhante foi tomada de forma preventiva em janeiro, no pico do mau estado do mar. Os fuzileiros vão ter uniforme dos Socorros a Náufragos.

Têm curso
Os fuzileiros têm curso de nadador-salvador e podem realizar salvamentos. Em anos anteriores fizeram ações iguais, no plano ‘Praia Segura’, de vigilância de praias não concessionadas, mas só no pico do verão.

Época balnear
Cascais já abriu a época balnear. Na Caparica, nas praias do Centro e no Algarve abre a 1 de junho (Albufeira a 15 de maio e Figueira da Foz a 10 de junho). No Norte, a maioria a 15 de junho, assim como Mafra.

Padre avisou: "Cuidado, o mar aqui é perigoso"
O casal que morreu na Nazaré estava em peregrinação a Fátima e foi avisado duas vezes pelo padre, no autocarro: "Cuidado, o mar aqui é muito perigoso". Ainda assim, foram "molhar os pés", o que a Autoridade Marítima desaconselha.

"As pessoas devem evitar caminhar na praia e, sobretudo, pisar a areia molhada, uma vez que podem levar com a rebentação de uma onda e ser arrastadas", avisa a autoridade.

Ondas ainda com a fúria de inverno mudam os areais
A Autoridade Marítima avisa para os perigos da praia nesta altura do ano, em que o mar ainda está com a "força de inverno".

A ondulação "constante e forte" de Oeste impede a reposição de areia para as condições de verão, criando fundões, e o ainda acentuado declive na linha de água faz com que a rebentação seja sobre o areal, provocando agueiros. A ainda baixa temperatura da água potencia choques térmicos.
Ver comentários