Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

"Como é que ele entrou no apartamento?": Gonçalo Amaral exige provas e investigação séria sobre suspeito do caso Maddie

Ex-inspetor da PJ refere que é complicado reconhecer uma pessoa, neste caso suspeito, quando passaram 13 anos desde o caso.
Correio da Manhã 26 de Junho de 2020 às 00:38
Gonçalo Amaral
Gonçalo Amaral visitou o local do crime, passados 10 anos
Gonçalo Amaral
Gonçalo Amaral
Gonçalo Amaral visitou o local do crime, passados 10 anos
Gonçalo Amaral
Gonçalo Amaral
Gonçalo Amaral visitou o local do crime, passados 10 anos
Gonçalo Amaral
O ex-inspetor da Polícia Judiciária, Gonçalo Amaral, responsável pela investigação no caso Maddie, exigiu seriedades à polícias alemã e inglesa sobre o desaparecimento da menina da Praia da Luz a 3 de maio de 2007.

Numa entrevista ao Jornal do Centro, Gonçalo Amaral pediu uma investigação mais séria, sublinhando que há "alegadas provas e pistas que estão por aparecer".

"Fala-se muito e mostram-se as imagens de um suspeito e por aí fora, mas voltamos à questão de a investigação ser séria. Eu não posso pedir sequer que alguém reconheça a pessoa através de uma imagem dela passados uns anos", referiu o ex-inspetor durante a entrevista.

Outra das questões levantadas pelo ex-PJ é aquela que considera que deva ser uma prioridade das autoridades: a de investigar e perceber o Modus Operandi deste suspeito. "Como é que ele entrou naquele apartamento?", questiona, ao fazer um paralelismo entre o caso Maddie com a violação de uma turista norte-americana na praia da Luz, em 2005, crime pelo qual Christian Brueckner foi condenado.

Gonçalo Amaral desvaloriza os novos indícios que ligam Christian Brueckner à investigação do desaparecimento da menina inglesa e reforça que este suspeito agrada aos investigadores ingleses. Como desde o primeiro momento que Kate e Gerry McCann acreditam que a filha foi levada por um pedófilo. "Tem de se arranjar um pedófilo", considera o ex-inspetor da PJ de Portimão, que intitula o alemão 
Christian Brueckner como um suspeito "quase perfeito".

O antigo-PJ defende atualmente "a reconstituição do desaparecimento de Maddie". "A PJ realizou um excelente trabalho na altura e continua a empenhar do melhor que tem a nível de profissionais", relembrou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)