Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

"Havia sangue por toda a casa": Inspetor da PJ descreve cenário de homicídio de prostituta em Santarém

Arguido, Yuren Teixeira, técnico de informática detido pela PJ três meses após o crime, remeteu-se ao silêncio.
João Nuno Pepino 28 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Yuren Teixeira está detido
Tribunal
Yuren Teixeira está detido
Tribunal
Yuren Teixeira está detido
Tribunal
O inspetor da Polícia Judiciária (PJ) que chefiou a investigação do homicídio de Lúcia Oliveira, a prostituta assassinada num apartamento em Santarém, ficou impressionado com as marcas de violência que encontrou no local do crime. "Havia sangue espalhado por toda a casa", relatou esta quinta-feira o inspetor na primeira sessão do julgamento, no Tribunal de Santarém.

O arguido, Yuren Teixeira, técnico de informática de 32 anos detido pela PJ três meses após o crime, optou por se remeter ao silêncio. O homem ouviu ainda o inspetor explicar que a PJ recolheu vestígios hemáticos que o ligam ao homicídio.

Além do sangue da vítima, os inspetores encontraram manchas de sangue de uma outra pessoa no vidro de uma porta que foi partido para abrir o trinco, pelo lado de dentro.

O investigador explicou que Lúcia Oliveira teria quatro telemóveis, sendo que um foi encontrado no apartamento de Yuren.
Santarém PJ Yuren Teixeira Lúcia Oliveira Tribunal de Santarém crime lei e justiça polícia crime
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)