Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Homicida de ator Bruno Candé fica calado perante juiz

Reformado que matou Bruno Candé vai aguardar julgamento em prisão preventiva.
João Carlos Rodrigues 28 de Julho de 2020 às 01:30
Bruno Candé tinha 39 anos
Polícia investiga motivações racistas
Atirador foi detido por populares
Bruno Candé tinha 39 anos
Polícia investiga motivações racistas
Atirador foi detido por populares
Bruno Candé tinha 39 anos
Polícia investiga motivações racistas
Atirador foi detido por populares
Antes de premir o gatilho quatro vezes gritou “vai mas é para a senzala.” Mas aos polícias que o prenderam, o homem que matou Bruno Candé Marques garantiu que não disparou por questões raciais, mas devido a discussões e ameaças por causa de um cão. Esta segunda-feira, perante um juiz de instrução criminal do Tribunal de Loures, o homicida ficou em silêncio. O magistrado não teve dúvidas e mandou-o em prisão preventiva.

O homicida, um enfermeiro reformado de 76 anos, já tinha discutido com a vítima nos dias anteriores. Mas é aqui que as versões mudam. Uns dizem que tudo se deveu a um cão que Bruno passeava todos os dias e que levou o atirador a sofrer uma queda; outros que a discussão estava apenas relacionada com o facto de a vítima ser negra. E este será o foco da investigação – perceber se foi um crime com motivos raciais – uma vez que não há dúvidas sobre a a autoria dos disparos.

A família de Bruno Candé exige “justiça célere e rigorosa” perante um crime que considerou “premeditado e racista”, uma vez que “o assassino já o havia ameaçado de morte três dias antes, proferindo vários insultos racistas”, uma situação ainda não confirmada pelas autoridades policiais. 
Seis testemunhas negam insultos racistas à PSP
Após a detenção do homicida, a PSP inquiriu seis testemunhas na avenida de Moscavide e nenhuma fez referência a insultos ou ameaças racistas nos momentos anteriores. “Da inquirição das testemunhas no local, ninguém fala de atos racistas”, disse o comissário Luís Santos.

Bloco e Chega trocam acusações sobre crime
O Bloco de Esquerda exige que todos os pormenores e motivações do crime sejam apurados. “É evidente o caráter premeditado e racista deste crime hediondo”, diz o BE. Para o Chega “é uma tragédia sem relação com o racismo” que está a ser “aproveitada pela esquerda.

pormenores
Arma proibida
O enfermeiro reformado de 76 anos está indiciado por homicídio qualificado e detenção de arma proibida.

Ator deixa três filhos
Bruno Candé tinha três filhos menores, dois rapazes de cinco e seis anos e uma menina de dois anos. Participou em novelas e peças de teatro e recuperava de um acidente.
Ver comentários