Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Incendiário vinga-se por lhe negarem vinho

Arguido, de 51 anos, é temido pela população de Fontoura e foi detido pela PJ de Braga.
Liliana Rodrigues 13 de Setembro de 2019 às 01:30
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiros
Bombeiros
Bombeiro
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiros
Bombeiros
Bombeiro
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiros
Bombeiros
Bombeiro
Revoltado por não ter conseguido obter duas garrafas de vinho junto da comissão de festas do convívio de emigrantes em Fontoura, Valença, a 15 de agosto passado, o homem decidiu atear fogo ao mato junto ao caminho de terra batida que utiliza para aceder à própria casa.

O vento forte ajudou as chamas a propagarem-se rapidamente, mas os bombeiros conseguiram evitar que chegassem às habitações. Ainda assim, arderam quase três hectares de eucaliptos e mato.

O incendiário - de 51 anos, desempregado, e que é temido pela população local por ser quezilento e violento - foi detido pela Polícia Judiciária de Braga, indiciado pelo crime de incêndio florestal. Esta quinta-feira, foi presente a tribunal, mas não confessou o crime.

O juiz decidiu libertá-lo, mas está obrigado a apresentar-se todos os dias na GNR e proibido de utilizar isqueiros e objetos similares.

O arguido é ainda suspeito de ter ateado outros dois incêndios, um no mesmo local, também no dia 15 de agosto, mas do ano passado, e outro no recente dia 1 de setembro. Em causa, estarão sempre motivos fúteis, atuando sempre depois de ingerir bebidas alcoólicas.

Quanto à tarde de 15 de agosto passado, duas testemunhas confirmam que o arguido abandonou um café cerca de 15 minutos antes de o fogo ter começado, afirmando que iria regressar a casa. Este é o quinto incendiário detido pela PJ de Braga desde o início do ano, sendo que dois deles estão em prisão preventiva.
Fontoura Valença acidentes e desastres incêndios incêndios polícia crime lei e justiça
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)