Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Incêndios encerram pelo menos vinte agrupamentos de escolas

Portugal acionou o Mecanismo Europeu de Proteção Civil.
16 de Outubro de 2017 às 14:54
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Incêndios assolam Portugal
Pelo menos duas dezenas de agrupamentos de escolas estão encerrados, quer em consequência direta das chamas quer por estarem a servir de centros de acolhimento às populações, informou esta segunda-feira o Ministério da Educação.

No norte do país estão encerrados os agrupamentos de escolas de Alijó, Castelo de Paiva, Couto de Mineiro de Pejão (Castelo de Paiva), Moimenta, Monção e Murça.

No centro está encerrada a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos e mais o agrupamento de escolas de Vagos. Também foram encerrados os agrupamentos de Carregal do Sal, Fornos de Algodres, Gouveia, Mira, Oliveira de Frades, Oliveira do Hospital e Penacova.

Ainda na região centro, estão também encerrados os agrupamentos de escolas de S. Pedro do Sul, Tábua, Tondela (Cândido de Figueiredo e Tomaz Ribeiro), Vieira de Leiria (Marinha Grande), Vouzela e Campia, Henrique Sommer (Maceira, Leiria) e Marinha Grande Nascente.

O Ministério da Educação atualiza a informação no portal do Governo na internet ou na página da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares.

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 31 mortos e dezenas de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo assinou um despacho de calamidade pública, abrangendo todos os distritos a norte do Tejo, para assegurar a mobilização de mais meios, principalmente a disponibilidade dos bombeiros no combate aos incêndios.

Portugal acionou o Mecanismo Europeu de Proteção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 250 feridos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)