Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Ivo Rosa aceita Sócrates como assistente no processo EDP e abre guerra com Ministério Público

Procuradores dizem que só quer acesso antecipado aos autos.
Tânia Laranjo 9 de Março de 2021 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Ivo Rosa aceita Sócrates como assistente no processo EDP e abre guerra com Ministério Público
O juiz Ivo Rosa, responsável pelo processo EDP após ter perdido a exclusividade no caso Marquês, aceitou que José Sócrates se constitua assistente. A decisão faz subir o tom da guerra com o Ministério Público (MP), que se manifestou contra a decisão, alegando que estão em causa negócios feitos quando este era governante.

A decisão de Ivo Rosa permite que o antigo primeiro-ministro assuma a função de colaborador da investigação, no processo que tem Mexia como principal arguido. Os procuradores consideram que o único objetivo de Sócrates é ter acesso antecipado aos autos, caso venha a ser ouvido.

Ivo Rosa justifica dizendo que, ao contrário dos jornalistas, que não aceitou serem assistentes no processo Marquês - decisão já revogada pela Relação, que admitiu que o CM teve um papel fundamental na investigação -, Sócrates manifesta um interesse legítimo. Também uma diligência marcada para dia 8 foi anulada.

O MP queria copiar o correio eletrónico através do telemóvel de uma testemunha - que aceitou voluntariamente fornecer o código - mas o juiz não o permite. Diz que não é claro que aquela testemunha tenha autorizado a cópia.
Ver comentários