Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Jovem de 14 anos saiu para jogar à bola e não voltou para casa

Família e amigos de Igor procuram na cidade de Chaves e na região e a Polícia Judiciária já está a investigar.
Patrícia Moura Pinto 31 de Julho de 2020 às 01:30
Júlia Barros está desesperada devido ao desaparecimento do neto
Júlia Barros está desesperada devido ao desaparecimento do neto FOTO: Leandro Coutinho
Sem que nada o fizesse prever, no passado dia 19, Igor Dias Magalhães, de 14 anos de idade, saiu de casa da avó paterna, com quem reside na cidade de Chaves, para ir jogar à bola com os amigos e nunca mais voltou.

A avó do menor, Júlia Barros, está desesperada e arrependida de não ter ido logo nesse dia apresentar queixa na polícia. "Do que mais me arrependo é de não ter ido logo à polícia, mas eu sempre ouvi dizer que tinha de se esperar 24 horas e agora sei que não é assim. Devia ter ido logo e talvez pudesse ter feito a diferença", conta, com a voz embargada, Júlia Barros. 


Filho de pais separados, Igor Magalhães viveu cinco anos em França com o pai (a mãe reside em Andorra), mas em dezembro do ano passado mudou-se para Chaves, passando a morar com a avó paterna. Frequenta a Escola Dr. António Granjo, em Chaves, onde concluiu o 9º ano.

O jovem, que completará 15 anos a 13 de agosto, saiu apenas na posse do telemóvel que, nas tentativas de contacto feitas, ‘diz’, em tom automático, que o número não se encontra ativo. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária de Vila Real, uma vez que o desaparecimento já ocorreu há doze dias. No entanto, a avó revela que amigos e familiares têm realizado todos os dias buscas na região. "Já corremos tudo atrás dele, mas até agora nada", diz, em lágrimas, a avó do jovem.

Júlia Barros diz que não conhece os amigos com quem o neto saiu, mas admite que ele "se tenha iludido com colegas".
Ver comentários