Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Juíza sobre jovem que matou namorado em Fafe: "Matar por ciúmes revela atitude de prepotência e egoísmo"

Bruna Gonçalves foi condenada a 16 anos de prisão. Matou Luís Rodrigues depois de ver uma mensagem de parabéns à ex.
Sérgio Pereira Cardoso 21 de Dezembro de 2019 às 01:30
Bruna Gonçalves
Luís Rodrigues
Bruna Gonçalves
Luís Rodrigues
Bruna Gonçalves
Luís Rodrigues
"Matar por ciúmes revela uma atitude de arrogância, prepotência e egoísmo." A frase é da juíza presidente do Tribunal de Guimarães na leitura do acórdão que condenou esta sexta-feira Bruna Letícia Gonçalves a 16 anos de prisão por ter assassinado o próprio namorado, de 21 anos, em Fafe, em outubro de 2017.

A arguida, de 23 anos e punida por homicídio qualificado e violência doméstica, terá ainda de pagar uma indemnização de 160 mil euros à família da vítima, Luís Rodrigues. Segundo o tribunal, não ficou provado que a arguida tivesse tido intenção de matar, mas apenas que se "conformou" com essa possibilidade, ao atingir o companheiro com uma faca de cozinha na zona do pescoço. "Não foi um corte casual", sublinhou a juíza.

Classificando a jovem como "obsessiva, controladora e manipuladora", o coletivo deu como provado que ela "vigiava" o telemóvel e as redes sociais do namorado e lhe enviava mensagens constantemente por causa disso mesmo, além de o ter agredido com um soco. 

Na madrugada de 17 de outubro de 2017, na casa em que a arguida e a vítima residiam, Bruna Letícia foi ver o telemóvel dele e verificou que Luís enviara os parabéns à ex-namorada. Acordou-o e encetou uma discussão, acabando por lhe dar uma facada no pescoço. A seguir, foi lavar a faca do crime.

A juíza alertou que é necessário incutir nos jovens que as relações "não podem desenvolver-se desta forma tóxica e desestruturante".
Fafe Bruna Letícia Gonçalves Luís Rodrigues crime lei e justiça julgamentos crime tribunal
Ver comentários