Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7
Ao minuto Atualizado às 14:33 | 15/09

"Nunca quis ir para a Síria": As declarações em tribunal de Rómulo Costa, um dos terroristas portugueses

Advogado de defesa de Cassimo Turé, um dos arguidos, pode pedir alargamento do prazo para consulta do processo.
Sofia Garcia 15 de Setembro de 2020 às 09:56
Rómulo Costa está preso
Cassimo Turé
Rómulo Costa está preso
Cassimo Turé
Rómulo Costa está preso
Cassimo Turé
Ao minuto Atualizado a 15 de set de 2020 | 14:33
14:32 | 15/09

À saída da sessão da manhã o seu advogado, Lopes Guerreiro, referiu apenas que Rómulo Costa apresentou a sua versão dos factos, negando a acusação de pertencer a um grupo terrorista, e que pretende esclarecer a verdade dos factos, tendo ainda lamentado que os restantes arguidos não estejam presentes.

Quanto ao arguido Casimo turé, o seu advogado, Serrano Vieira, disse que este não vai para já prestar declarações.

O julgamento prossegue da parte da tarde.

14:32 | 15/09

Na curta sessão da semana passada o tribunal decidiu separar os processos dos restantes arguidos que se encontram em parte incerta ou em países terceiros e impossibilitados de estarem presentes.

Em causa no processo estão os crimes de recrutamento, adesão e apoio à organização terrorista Estado Islâmico e financiamento ao terrorismo.

O processo resultou de uma investigação de cooperação judiciária entre as autoridades portuguesas e britânicas, sendo que o arguido Rómulo Costa nega as acusações de terrorismo, admitindo apenas que falou com os irmãos/guerrilheiros por telefone para apurar se estavam bem e saber informações sobre outros familiares a viver em campos de refugiados.

A acusação, entende que os arguidos uniram esforços, recrutaram e financiaram de modo próprio o Daesh
, apoiando a ida de cidadãos portugueses e britânicos para a Síria para combaterem ao lado dos jihadistas.

11:06 | 15/09
Rómulo Costa começa por dizer que Fábio, um dos 8 terroristas portugueses que está na Síria e um dos mais ativos nas redes sociais, nunca alimentou as suas redes sociais.

O arguido acrescenta ainda que "nunca quis ir para a Síria".
11:00 | 15/09
O julgamento dos terroristas portugueses começa esta terça-feira no Campus da Justiça, em Lisboa, mas o mesmo está em risco de ser adiado pela segunda vez em menos de uma semana.

O processo é composto por oito arguidos, sendo que serão ouvidos apenas dois, os únicos jihadistas que nunca integraram as fileiras do grupo terrorista na Síria.

Um deles é Rómulo Costa, de 40 anos, o único terrorista em prisão preventiva, desde junho de 2019, na prisão de alta segurança de Monsanto. O arguido nega qualquer um dos crimes dos quais é acusado, entre eles recrutamento, financiamento e adesão ao Daesh. Rómulo defendeu já que foi intercetado pelas auoridades nas chamadas, uma vez que pretendia saber estado de saúde dos irmãos a combater nas fileiras na Síria.

O segundo arguido a ser ouvido é Cassimo Turé, de 44 anos, soldado no Daesh na Síria e considerado pela PJ como recrutador.

À entrada para o julgamento, o advogado de Rómulo, Lopes Guerreiro, alertou para a possibilidade do julgamento não arrancar esta terça-feira, uma vez que Ricardo Serrano Vieira, o advogado do segundo arguido, poderá pedir o alargamento do prazo para consulta do processo.
Daesh Campus da Justiça Rómulo Costa Lisboa Síria PJ política crime lei e justiça julgamentos
Ver comentários