Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ladrão preso e solto

O suspeito de 20 anos, que esteve anteontem barricado durante quatro horas na antiga fábrica da Messa, em Mem Martins, Sintra, já tinha sido detido duas vezes, por suspeita de assaltos à mão armada. Presente ao Tribunal de Cascais, saiu sempre em liberdade.
27 de Janeiro de 2006 às 00:00
Perseguição terminou no Bairro Casal de São José, Mem Martins
Perseguição terminou no Bairro Casal de São José, Mem Martins FOTO: Manuel Moreira
O suspeito – que integrava um grupo de assaltantes perseguidos, anteontem, da Ericeira até ao bairro Casal de São José, em Mem Martins – era já procurado pela polícia. Em Dezembro último saltou pela janela de um prédio para escapar a uma operação policial montada em Alcabideche. E conseguiu a fuga.
Anteontem foi finalmente apanhado por elementos da Companhia de Operações Especiais da GNR, depois de se ter barricado quatro horas nas velhas instalações da fábrica Messa (agora ao serviço da Câmara Municipal de Sintra).
Segundo fonte da GNR de Sintra, o facto de ser procurado nunca o fez cessar a actividade criminosa. “Dava-se com muitos grupos. O último em que esteve integrado era composto por outros três homens que foram detidos e se encontram agora em prisão preventiva”, disse a fonte policial.
Apesar de a mãe do suspeito morar em Trajouce e o pai em Matarraque, o detido não tinha residência fixa. “Tinha uma grande capacidade de mobilização, alojava-se facilmente em vários bairros problemáticos”, disse a fonte. O último grupo com quem actuou foi detido nos últimos meses no bairro Casal de São José, em Mem Martins.
Foi precisamente nesse bairro que anteontem um comparsa do jovem detido, também ocupante do Honda Civic perseguido, foi morto a tiro, por um militar da GNR, quando tentava escapar para o interior da fábrica.
A identidade do assaltantes morto, soube o CM, não foi logo conhecida. Inicialmente as autoridades pensaram tratar-se de um conhecido ladrão de Oeiras – um ex-recluso conhecido por ‘Francês’, que está a ser procurado por assaltos a taxistas. Mas o assaltante barricado acabaria por identificar à PJ o colega. Trata-se de um homem, de 21 anos, residente num bairro de Oeiras, com ficha criminal por roubos e furtos a estabelecimentos e a residências da zona de Cascais, Sintra e Mafra.
Ontem à noite, não era ainda conhecida a identidade ou sequer confirmada a existência de um terceiro assaltante que terá conseguido escapar à GNR, após a perseguição que provocou uma série de acidentes de viação. O grupo terá efectuado seis assaltos durante aquela manhã e madrugada.
A Inspecção-Geral da Administração Interna deverá analisar se o procedimento do militar que atingiu o assaltante a tiro foi adequado. O recurso a arma de fogo só é permitido em casos extremos, como para capturar ou impedir a fuga do suspeito. A lei permite ainda disparar quando o suspeito está armado. O assaltante abatido tinha na sua posse duas armas de fogo.
CARRO USADO EM ASSALTO A GASOLINEIRA
Durante a madrugada de anteontem, depois de uma razia de assaltos a estabelecimentos de Tires, o grupo de assaltantes teve o cuidado de trocar de carro. O Honda Civic preto em que seguiam (furtado dias antes em Cascais) podia denunciá-los. Numa rua da Terrugem, os assaltantes furtaram um outro Honda Civic, também preto, e ali deixaram o furtado em Cascais.
Ontem, a GNR constatou que foi com esta viatura que um posto de abastecimento de combustível da Terrugem foi assaltado, no último dia 20. Mais um crime a somar aos seis assaltos levados a cabo durante a noite e manhã de anteontem: em Tires, São Domingos de Rana, Barril, Açafora, Alvarinhos e São João das Lampas (desde Tires à Ericeira). Os relógios, peças de ouro e material informático roubados foram recuperados.
Ver comentários