Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Lê o diário da ‘ex’ antes de a matar

Ana Estreito era perseguida e fotografada pelo homicida.
Nelson Rodrigues 10 de Junho de 2018 às 09:17
 Ana Estreito assassinada
Crime ocorreu na rua Álvares Cabral
 Ana Estreito assassinada
Crime ocorreu na rua Álvares Cabral
 Ana Estreito assassinada
Crime ocorreu na rua Álvares Cabral
Inconformado com o final da relação de 15 anos, Luís Gonçalves, de 57, controlava todos os dias os passos de Ana Estreito. Desconfiado de que a ex–mulher, de 40, mantinha um relacionamento secreto com o patrão, o arguido ia com frequência à pastelaria onde a vítima trabalhava.

A 30 de outubro do ano passado, decidiu tirar as dúvidas e questionou Ana. Ela recusou responder e foi asfixiada até à morte na própria casa.

Apesar de a relação ter chegado ao fim, Luís e Ana continuavam amigos - era o arguido que lhe lavava a roupa, comprava o jornal e até lhe fazia sopa. A vítima entregou-lhe até uma cópia da chave do apartamento, na rua Álvares Cabral, no Porto. Obcecado pela ‘ex’, Luís chegou a ir à casa da mulher, na sua ausência, e ler o seu diário.

Fotografava-a à saída do trabalho e ainda recolheu imagens do estabelecimento comercial e do carro do dono da pastelaria. Tratava-a por ‘fofita’e esperava que a relação entre os dois fosse reatada. Enviava mensagens todos os dias a Ana.

Luís está em prisão preventiva, acusado de um crime de homicídio qualificado e outro de furto - fugiu com dinheiro e o telemóvel da vítima.
rua Álvares Cabral Luís Gonçalves Ana Estreito Porto questões sociais crime lei e justiça
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)