Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Mais 108 militares das Forças Armadas na prevenção de incêndios florestais

Para a missão, o ICNF "disponibilizou 36 viaturas, uma para cada patrulha", referem as Forças Armadas.
Sérgio A. Vitorino 18 de Julho de 2020 às 11:49
As Forças Armadas vão empenhar, até 30 de setembro, mais 108 militares na prevenção de incêndios florestais, além daqueles que tem atualmente já no terreno.

De acordo com o Estado-Maior-General das Forças Armadas, os elementos da Marinha e do Exército vão ser distribuídos por 36 patrulhas que "vão estar empenhadas diariamente" na vigilância das florestas e sensibilização da população. Este reforço chega "ao abrigo do Protocolo FAUNOS" celebrado em 2017 entre as Forças Armadas Portuguesas e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). O acordo prevê patrulhas por militares das Forças Armadas "na vigilância das áreas mais sensíveis da floresta e na sensibilização da população para a necessidade de adotar comportamentos adequados à prevenção dos fogos, em 14 distritos de Portugal Continental, nos quais o ICNF tem responsabilidade."

Para a missão, o ICNF "disponibilizou 36 viaturas, uma para cada patrulha", referem as Forças Armadas.

"Estes 108 militares somam-se aos 226 militares dos três Ramos das Forças armadas, que estão empenhados, desde sexta-feira e até amanhã, em apoio à Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, e à Guarda Nacional Republicana, em ações de vigilância e prevenção de incêndios florestais, nos 18 distritos de Portugal Continental", destaca o Estado-Maior-General.
Ver comentários