Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

"Trabalhos decorrem favoravelmente": Fogo em Proença-a-Nova com cerca de 90% do perímetro dominado

Chamas combatidas por mais de 900 operacionais, apoiados por 321 viaturas e nove meios aéreos.
Lusa 15 de Setembro de 2020 às 08:02
Bombeiros no incêndio de Proença-a-Nova
Bombeiros no incêndio de Proença-a-Nova
O fogo que deflagrou em Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, no domingo, está com cerca de 90% do perímetro dominado e os trabalhos de combate "decorrem muito favoravelmente", avançou esta terça-feira a Proteção Civil.

Luís Belo Costa, Comandante Operacional de Agrupamento Distrital do Centro Sul e Comandante das Operações de Socorro, disse na conferência de imprensa realizada no posto de comando, em Sobreira Formosa, no concelho de Proença-a-Nova, que o incêndio "terá cerca de 90% do seu perímetro todo dominado", faltando dominar 10 por cento, onde estão atualmente os meios "a trabalhar" e a extinguir os focos existentes.

"Os trabalhos decorrem muito favoravelmente. Eu diria que a situação está muito favorável. Ainda não podemos dar o incêndio como dominado, porque ainda temos pequenos pontos quentes que carecem de uma atenção e de um trabalho muito dedicado, que não nos permitem ainda dar a situação como incêndio dominado", afirmou.

O responsável explicou que "não há propriamente nenhuma frente com as chamas ativas".

"Estamos, neste momento, a fazer todo um reconhecimento rigoroso a todo o perímetro, com operações de consolidação e ainda de ataque direto a pequenos pontos quentes, como eu disse", rematou o comandante.

Pelas 16h00 eram 895 os operacionais no terreno, apoiados por 296 viaturas e 14 meios aéreos.

Luís Belo Costa acrescentou que o incêndio tem um perímetro "muito grande", com cerca de 60 quilómetros, e que "carece de muita atenção".

"Vai ser um dia de intenso trabalho, nestes pontos quentes muito fragmentados em todo o perímetro de incêndio, sendo que os setores que ficaram em condições mais favoráveis e onde ainda estão a ser feitos trabalhos de consolidação e de extinção são os setores mais a norte do incêndio, todos eles no concelho de Oleiros", vaticina.

No encontro com os jornalistas, o responsável disse ainda esperar que, "lá mais para o final do dia, início da noite", o fogo possa "chegar à situação de dominado".

"Estamos numa situação extraordinariamente favorável, estamos com a situação muito controlada. Não esperamos vir a ter surpresas relativamente a eventuais progressões mais violentas, mas, ainda assim, não temos todo o perímetro, como desejaríamos, completamente extinto", concluiu.

Em relação às dificuldades sentidas durante o combate às chamas, o Comandante das Operações de Socorro referiu as elevadas temperaturas e o vento forte, sobretudo na fase inicial, a orografia e o coberto vegetal.

O responsável observou ainda que, apesar da extensa área atingida pelas chamas, os meios no terreno conseguiram evitar que o fogo atingisse aldeias.

Acrescentou que não há vítimas civis a lamentar e, em relação a danos materiais, embora o levantamento não esteja feito, os dados disponíveis indicam que os existentes não são danos muito significativos.

O incêndio de Proença-a-Nova, que deflagrou no domingo à tarde alastrou aos concelhos de Oleiros e Castelo Branco.

De acordo com a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANPC), pelas 10h30, o incêndio estava a ser combatido por 1.014 operacionais, auxiliados por 335 veículos e seis meios aéreos.

Proença-a-Nova Oleiros Castelo Branco Proteção Civil acidentes e desastres incêndios fogo
Ver comentários