Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Mediador de seguros do Porto acusado de burlas em apólices de 70 automobilistas

Caso ocorreu em 2012. Homem e filho lucraram 11.400 euros.
Lusa 7 de Janeiro de 2020 às 10:33
Tribunal
Tribunal
Um mediador de seguros do Porto e o seu filho lucraram 11.400 euros com burlas em apólices do ramo automóvel respeitantes a sete dezenas de clientes, segundo uma acusação do Ministério Público.

O caso ocorreu em 2012 e é julgado a partir do dia 15 no tribunal criminal de São João Novo, no Porto, indicou fonte judicial.

O processo indica que os arguidos faziam crer aos clientes, através da entrega de cartas verdes forjadas, que o seguro automóvel estava normalizado junto da Allianz Portugal, SA, de que o escritório de ambos foi mediador.

Aquela seguradora constituiu-se assistente no processo, em que o mediador está acusado por burla qualificada e o seu filho por falsificação de documentos (as cartas verdes) e usurpação de funções (por mediação de seguro ilegítima).

"Criavam aos clientes a convicção de que estavam protegidos" em caso de acidente rodoviário, "bem sabendo que esse contrato [de seguro] não existia, por nunca ter sido formalizado", indica o processo.

Ver comentários