Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Militar atinge rival a tiro após troca de agressões

GNR de folga detido por colegas depois de disparar arma pessoal, atingindo a vítima numa perna.
Mário Freire e Paula Gonçalves 23 de Janeiro de 2018 às 09:13
Agressões e disparo ocorreram no largo de uma capela na povoação de Laceiras, no concelho de Carregal do Sal
Tiroteio em Carregal do Sal faz dois feridos
 Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Agressões e disparo ocorreram no largo de uma capela na povoação de Laceiras, no concelho de Carregal do Sal
Tiroteio em Carregal do Sal faz dois feridos
 Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Agressões e disparo ocorreram no largo de uma capela na povoação de Laceiras, no concelho de Carregal do Sal
Tiroteio em Carregal do Sal faz dois feridos
 Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Incidente com arma de fogo em Carregal do Sal
Um militar da GNR, de 34 anos, foi esta segunda-feira detido depois de ter atingido a tiro outro homem, de 36, junto a uma capela em Laceiras, Carregal do Sal. Segundo fonte da GNR, os dois envolveram-se em agressões e o militar, de folga, sacou de uma arma de defesa pessoal, legalizada – e fez um disparo que atingiu o rival com gravidade numa perna.

Em causa, garantem populares, está uma alegada traição. António Abrantes, o primeiro habitante a chegar ao local, diz ter visto uma mulher a sair da zona de carro "a alta velocidade".

"Os primeiros gritos de socorro" que ouviu "eram de uma mulher". No local deparou-se com o homem baleado caído no chão e o militar que se identificou e disse ter pedido socorro.

O telemóvel que a vítima tinha no bolso das calças evitou que o disparo provocasse ferimentos mais graves, diz ao CM Fernando Campos, comandante dos Bombeiros de Cabanas do Viriato.

Os dois homens - o militar estava também ferido - foram transportados para o hospital. Entre eles já existiam desavenças, com registo de uma queixa apresentada pelo militar contra o outro homem, eletricista, residente em Moreira, Nelas.

Largo da capela usado para "namorar" 
Os habitantes da aldeia de Laceiras dizem que o largo da Capela de Nossa Senhora dos Milagres, num local tranquilo e pouco frequentado, "é normalmente usado por casais para namorar", conta Graça Filipe. Garante, no entanto, que nunca ali se registaram problemas.

As pessoas envolvidas na agressão não residem na aldeia. O militar da GNR mora em Fagilde e presta serviço no posto de Mangualde. O eletricista reside na zona de Nelas.
Ver comentários