Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Ministério Público abre inquérito a ameaças entre GNR

Sargento que sacou da pistola foi esta terça-feira transferido de serviço, como medida cautelar disciplinar. 
Miguel Curado 2 de Setembro de 2020 às 08:19
Sargento sacou da pistola
Sargento sacou da pistola FOTO: Luís Costa
O Ministério Público abriu um inquérito a um confronto entre um sargento e um guarda do destacamento da GNR de Moura, ocorrido no posto de Vila Nova de São Bento. Duas associações da GNR têm versões opostas: a APG diz que o guarda teve uma arma apontada pelo sargento, enquanto a associação de sargentos diz que o seu associado se defendeu de ameaças de morte.

O sargento-ajudante, de 46 anos, colocado no núcleo ambiental do destacamento de Moura, foi na segunda-feira ao posto dar conta de uma ocorrência. José Lopes, presidente da Associação de Sargentos, diz que o guarda se dirigiu a ele “com ameaças de morte para o sargento e a família, acusando-o de o ter querido prejudicar por causa de uma multa”. “O nosso associado sacou da pistola mas sem apontar”, explicou.

César Nogueira, presidente da APG, garante que o guarda teve mesmo a arma de fogo apontada. O sargento que sacou da pistola foi esta terça-feira transferido de serviço, como medida cautelar disciplinar. 
GNR Vila Nova de São Bento Ministério Público Moura APG crime lei e justiça polícia forças policiais
Ver comentários