Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Ministério Público abre inquérito à morte da mulher com Alzheimer junto ao hospital de Cascais

Francisca estava desaparecida desde a madrugada de sábado, altura em que teve alta do hospital. Francisca dirigiu-se à unidade para uma consulta.
Francisca Genésio 15 de Julho de 2020 às 17:22
Francisca Fernandes
Francisca Fernandes FOTO: Facebook

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito à morte de Francisca Fernandes, doente com alzheimer, que foi encontrada morta na segunda-feira de manhã, a escassos metros do hospital de Cascais.

A mulher, de 66 anos, estava desaparecida desde a madrugada de sábado, altura em que teve alta do hospital. Francisca dirigiu-se à unidade para uma consulta. O marido terá sido impedido de a acompanhar, tendo em conta os constrangimentos provocados pela Covid-19.

O quadro clínico da mulher acabou por se agravar e foi transferida para o serviço de Urgência, de onde teve alta às 00h24. A família diz não ter sido informada da alta médica. Já hospital garante ter cumprido "todos os protocolos para o efeito", incluindo o contacto à família na hora da alta.

Francisca Fernandes foi encontrada pelos Bombeiros de Alcabideche cerca das 09h00 de segunda-feira - terceiro dia de buscas -, depois de a família ter participado o desaparecimento à GNR. O corpo estava a cerca de "500 metros" do hospital de Cascais, junto ao primeiro viaduto da A5, no sentido Cascais-Lisboa.

A mulher foi encontrada despida da cintura para cima, com indícios de desidratação. Tudo aponta para que tenha sofrido um golpe de calor, tendo em conta que os termómetros registaram temperaturas muito próximas dos 40 graus durante o fim de semana na região da Grande Lisboa. 

Ao CM, o MP acrescenta ainda que o inquérito se encontra "em investigação, tendo sido determinada a realização de autópsia". Também a Entidade Reguladora da Saúde está a analisar os factos associados à morte de Francisca Fernandes.

A unidade hospitalar garante manter "total disponibilidade para colaborar com as autoridades".

 

 

Ver comentários