Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Ministério Público acusa 37 pessoas ligadas aos "No Name Boys" de 261 crimes violentos

Em causa estão 11 situações em que a mais mediática foi o apedrejamento do autocarro do Benfica na A2.
Correio da Manhã 26 de Dezembro de 2020 às 21:08
Campus de Justiça Lisboa
Campus de Justiça Lisboa FOTO: CMTV
Ministério Público acusou 37 pessoas membros dos Casual, a ala mais radical dos "No Name Boys", de 261 crimes violentos relativos a 11 episódios de violência, avança a TVI

Das 11 situações de violência inclui-se o apedrejamento do autocarro do Benfica na A2 que resultou em dois jogadores feridos. Os acusados têm entre 20 a 40 anos e respondem por homicídio qualificado na forma tentada, atentado à segurança de transporte rodoviário, ofensas à integridade física, furto e dano. Crimes como os grafitis insultuosos na casa de Bruno Lage, na altura treinador dos encarnados, e as agressões a adeptos do Sporting e FC Porto estão também em cima da mesa. 

Os crimes em causa situam-se entre 2018 e 2020.

'No Name Boys' dividem-se em três grupos e vigiam polícia para atacar jogadores do Benfica
Tal como o Correio da Manhã já havia noticiado, o grupo que planeou o ataque ao autocarro do Benfica dividiu-se em três grupos: um monitorizou a hora de saída e percurso do autocarro da equipa entre o Estádio da Luz e o centro de estágios do Seixal; outro vigiou os movimentos da polícia; e o terceiro concretizou o ataque - às 22h30, várias pedras foram arremessadas contra o ‘vermelhão’ em plena A2, com a viatura a 100 km/h.

Uma das pedras partiu um vidro e feriu os atletas Zivkovic e Weigl.

Seis suspeitos da claque No Name Boys ficam em prisão preventiva
Seis dos sete detidos da claque No Name Boys, no âmbito da Operação Sem Rosto, ficaram sujeitos à medida de coação de prisão preventiva, enquanto aguardam julgamento.

Foram indiciados por um crime de homicídio na forma tentada, por dois crimes de roubo, por vários crimes de agressão e por situações de dano e de furto.
Casual No Name Boys TVI A2 desporto futebol questões sociais
Ver comentários