Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ministério Público acusa três homens de assassinar à facada filho de ex-inspetor da PJ em Lisboa

Crime ocorreu a 28 de dezembro do ano passado junto à faculdade de Ciências, no Campo Grande.
Sérgio A. Vitorino 7 de Julho de 2020 às 17:15
Pedro Fonseca foi golpeado no peito pelos atacantes e não resistiu
Pedro Fonseca foi golpeado no peito pelos atacantes e não resistiu
Pedro Fonseca foi golpeado no peito pelos atacantes e não resistiu
Pedro Fonseca foi golpeado no peito pelos atacantes e não resistiu
Pedro Fonseca foi golpeado no peito pelos atacantes e não resistiu
Pedro Fonseca foi golpeado no peito pelos atacantes e não resistiu

O Ministério Público acusou os três homens que assassinaram à facada, numa tentativa de assalto, Pedro Fonseca, de 24 anos, filho de um ex-inspetor da PJ. O crime ocorreu a 28 de dezembro do ano passado junto à faculdade de Ciências, no Campo Grande, em Lisboa. Os acusados são Bacari Djau, de 18 anos, Tcherno Amadu, de 20, e Serifo Balde, então ainda com 17.

De acordo com o Ministério Público, um dos arguidos está acusado de um crime de ofensa à integridade física simples, um crime de dano, oito crimes de roubo agravado, cinco crimes de roubo simples e um crime de homicídio. Outro de nove crimes de roubo agravado, três de roubo simples, um de homicídio e um crime de tráfico de droga. Um terceiro é acusado de oito crimes de roubo agravado, quatro de roubo simples, um crime de recetacão e um crime de homicídio. Um quarto homem é apenas acusado de recetação, por comprar aos restantes arguidos os artigos provenientes dos roubos.

Numa nota, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa descreve que "ficou suficientemente indiciado que, os arguidos, em comunhão de esforços e intentos, resolveram apropriar-se de bens e valores que terceiros consigo detivessem, colocando-os na impossibilidade de lhes resistirem, com recurso à violência (seja exibindo-lhes facas, objetos pontiagudos ou com lâminas, seja fazendo uso da sua superioridade numérica e de agressões)".

Os crimes ocorreram "entre pelo menos 19.10.2019 até 28.12.2019 [data do homicídio de Pedro Fonseca]", em Lisboa e Sintra. Foram abordadas várias vítimas, "a quem retiraram do modo descrito, os bens que estes detinham, usando-os em proveito próprio e contra a vontade dos ofendidos".
"Numa das ocasiões um dos arguidos [Serifo Balde], com conhecimento e aceitação dos demais, desferiu golpes com uma faca, no tórax, do lado esquerdo, na região lombar esquerda e no flanco esquerdo, de um dos ofendidos [Pedro Fonseca], provocando-lhe feridas que foram causa direta e necessária da sua morte, resultado que os arguidos quiseram, previram e com o qual se conformaram", aponta a acusação.
Um dos arguidos está acusado de tráfico de droga por ter sido encontrado na posse de "produto estupefaciente"  com "o intuito de o ceder a terceiros"-

Os três acusados de homicídio estão em prisão preventiva desde 7 de janeiro, após terem sido detidos pela PJ de Lisboa.

PJ Lisboa Ministério Público crime lei e justiça questões sociais polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)