Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Morre contra camião atravessado na EN103 em Barcelos

António Quesado seguia para casa quando sofreu colisão frontal.
Patrícia Lima Leitão e Fátima Vilaça 23 de Novembro de 2018 às 09:39
António Quesado morreu aos 62 anos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
António Quesado morreu aos 62 anos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
António Quesado morreu aos 62 anos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
Carrinha ficou destruída na colisão com um camião na EN103 em Barcelos
António Quesado, de 62 anos, seguia em direção a Santa Marta, Viana do Castelo, onde reside, quando a carrinha que conduzia colidiu com um camião em despiste, na EN103, entre S. Martinho de Vila Frescainha e Vilar do Monte, Barcelos, esta quinta-feira por volta das 13h00. Os bombeiros ainda fizeram manobras de reanimação, mas sem sucesso. O óbito foi declarado no local. O piso escorregadio, devido à intensa precipitação, poderá ter estado na origem do acidente.

A vítima mortal, única ocupante da carrinha, ficou encarcerada após o embate frontal. "Devido às lesões que apresentava, não era viável qualquer recuperação", afirmou José Simões, adjunto de comando dos bombeiros de Barcelos. António Quesado deixa a mulher e uma filha. Um sobrinho esteve no local do acidente.

O condutor do camião - que ficou atravessado nas duas faixas da estrada nacional - relatou aos bombeiros que conduzia a uma velocidade reduzida e que não sabe o que motivou a perda de controlo da viatura. "Estava em choque. Disse que o camião entrou em despiste e que não conseguiu fazer nada para evitar o acidente. Até disse que não iria conseguir voltar a conduzir camiões", referiu José Simões. O camionista , de 48 anos, que se dirigia para Barcelos, necessitou de receber apoio psicológico por parte do INEM.

O troço de três quilómetros da EN103 esteve cortado ao trânsito durante cinco horas, enquanto decorriam os trabalhos de remoção dos destroços.
Ver comentários