Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Morte de estudante cabo-verdiano em Bragança gera onda de revolta

Agressão violenta a Luís Giovani Rodrigues leva governo de Cabo Verde a pedir Justiça.
Patrícia Moura Pinto e Manuel Jorge Bento 7 de Janeiro de 2020 às 01:30
Luís Rodrigues tinha 21 anos e estava em Bragança desde outubro
Luís Rodrigues tinha 21 anos e estava em Bragança desde outubro FOTO: Direitos Reservados

"Queremos respeito e Justiça". É desta forma que os estudantes cabo-verdianos em Portugal lamentam a morte de Luís Giovani Rodrigues, de 21 anos, a 31 de dezembro, após ter sido agredido em Bragança, dez dias antes.

A situação chegou às autoridades como um possível alcoolizado caído na rua e só no local a equipa de socorro verificou o ferimento na cabeça.

O caso levou já o primeiro-ministro de Cabo Verde a pedir que a "Justiça se faça" e o Ministério dos Negócios Estrangeiros português a garantir que "os responsáveis serão identificados e levados à Justiça". Entretanto, estão a ser convocadas para sábado várias marchas de homenagem ao jovem atacado após ter saído do bar Lagoa Azul. A PJ investiga.

"Estamos fortemente empenhados em dar uma resposta tão rápida quanto possível. Estamos a investigar os factos há meia dúzia de dias. A maior parte dos homicídios são esclarecidos nos primeiros dias", referiu ontem Luís Neves, diretor da PJ, à margem da abertura do ano judicial. O corpo do estudante cabo-verdiano ainda está em Portugal, à espera de ser trasladado - o que deverá acontecer até ao final da semana. A autópsia terá sido inconclusiva.

Entre as marchas de homenagem a Luís Giovani Rodrigues já previstas para sábado, uma será realizada em Bragança, a partir das 15h00, entre o Instituto Politécnico e a Catedral, onde o bispo José Cordeiro celebrará uma missa. Há ainda vigílias e marchas previstas para Lisboa, Porto e Coimbra.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)