Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Mulher agride companheiro e destrói escritório à marretada enquanto finge aborto

Agressora foi detida pela PSP em Cascais. Brasileira já tinha agredido o advogado que mentiu sobre os ferimentos no hospital.
4 de Maio de 2019 às 11:20
Tribunal
PSP
Carro da PSP
Tribunal
PSP
Carro da PSP
Tribunal
PSP
Carro da PSP
Uma mulher de nacionalidade brasileira foi detida pela PSP esta quarta-feira em Cascais depois de ter agredido o companheiro à marretada e de ter destruído o escritório dele.

Segundo o jornal Cascais 24, a mulher, de 36 anos, titular de carteira profissional emitida pela Ordem dos Advogados portuguesa, arrombou a porta do escritório do homem, situado na zona histórica de Cascais.

O companheiro, um arquiteto de 51 anos, foi alertado para a presença da mulher no escritório e dirigiu-se ao mesmo. Quando chegou, a mulher agrediu-o com uma marreta com cerca de 2,5 kg e, depois, ainda o tentou atingir com um maçarico portátil.

Os agentes da PSP de Cascais foram chamados ao local e quando chegaram verificaram que o homem apresentava ferimentos no rosto. Além da marreta e do maçarico, a agressora levava ainda duas facas de cozinha, garrafas de álcool etílico, latas de spray, que utilizou para escrever palavras ofensivas na fachada do edifício e, também, um frasco de espuma vaginal com o qual tentou simular um aborto espontâneo.

As autoridades detiveram a mulher que foi levada para a urgência psiquiátrica do Hospital de São Francisco Xavier, no Restelo, onde foi observada. Recebeu alta e regressou mais tarde a Cascais.

A agressora recebeu voz de detenção por violência doméstica e emigração ilegal, pelo facto de, aparentemente, estar em situação irregular nos últimos 17 dias.

Esta quinta-feira, um juiz de Instrução Criminal de Cascais aplicou-lhe prisão preventiva e foi levada para o Estabelecimento Prisional de Tires.

A relação entre a cidadã brasileira e o arquiteto terá começado no verão do ano passado, depois de se terem conhecido em âmbito profissional em 2017.

Os dois foram viver juntos quando, no final de 2018, a mulher engravidou. Depois de uma viagem ao Brasil no final de janeiro de 2019, a mulher sofreu um aborto espontâneo no Hospital de Santarém.

O mesmo jornal avança que o homem já tinha sido agredido anteriormente. Em março, a mulher terá agredido o homem com o vidro retrovisor do carro que conduzia, após uma discussão. Mais tarde, em abril, a mulher foi ao escritório do arquiteto e atirou-lhe com jarros e candeeiros.

Em declarações às autoridades, o homem conta que foi preciso recorrer à urgência hospitalar de Cascais. Por vergonha, no hospital, o homem disse que tinha caído depois de uma discussão com a companheira e que se tinha cortado, devido à queda.

O Cascais 24 refere que a mulher é ainda suspeita de ter esfaqueado, em março, o empregado de um estabelecimento de restauração, no largo de Camões, em Cascais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)