Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Mulher arrastada por onda em Matosinhos perde a vida no mar

Vítima, de 51 anos, acompanhava o marido na pesca, nas rochas. Homem ficou em pânico.
Nelson Rodrigues 21 de Agosto de 2020 às 07:56
Mulher estava nas rochas, entre as praias do Marreco e da Quebrada, sendo que ambas tinham bandeira vermelha hasteada
António Novais viu pescador a pedir ajuda, em total desespero
Mulher estava nas rochas, entre as praias do Marreco e da Quebrada, sendo que ambas tinham bandeira vermelha hasteada
António Novais viu pescador a pedir ajuda, em total desespero
Mulher estava nas rochas, entre as praias do Marreco e da Quebrada, sendo que ambas tinham bandeira vermelha hasteada
António Novais viu pescador a pedir ajuda, em total desespero
Estava a caminhar na zona das rochas, enquanto o marido pescava, quando a tragédia aconteceu. Uma onda atingiu a mulher de 51 anos, arrastando-a para o mar, esta quinta-feira à tarde, no limite entre as praias do Marreco e da Quebrada, em Matosinhos. Na queda, a vítima terá embatido com a cabeça numa pedra e perdeu de imediato os sentidos. Acabou por ser arrastada pela forte corrente e só seria resgatada, já sem vida, após mais de uma hora na água. O marido assistiu a tudo.

"Estava aqui na areia quando ouvi um homem a gritar muito. Pedia ajuda porque a mulher tinha caído à água. Ele só chorava e estava muito aflito", disse ao CM António Novais, banhista. "Vieram logo para aqui nadadores-salvadores e a Polícia Marítima, mas ninguém se atreveu a atirar-se ao mar que estava muito agitado e perigoso. Quem lá entrasse ficava lá também", frisou a testemunha.

O alerta para o acidente foi dado às 14h20. "O marido só gritava: ‘Eu vou lá, só preciso de uma boia. Quero salvar a minha mulher’. Mas ninguém o deixou entrar no mar", contou ainda António Novais. O pescador recebeu apoio psicológico.

O corpo foi removido por uma embarcação da Autoridade Marítima. No local estiveram ainda os bombeiros de Matosinhos-Leça. As duas praias tinham hasteada bandeira vermelha.

Foi na praia da Quebrada que, em março de 2009, o sobrinho de ex-futebolista Simão Sabrosa morreu afogado. Diogo tinha apenas quatro anos.
Ver comentários